segunda-feira, 23 de maio de 2016

diálogo - "... ao teu lado."

Diálogo: 
Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 24.02.2016.
Comentários na postagem original:  1
Visualizações até ser retirado:  110

"- Mas que droga! - ela gritava pra ele, odiando aquela segurança tão irresponsável que ele aparentava - Como tu podes saber se vai ser feliz ao meu lado??

- Tu não entendeste até hoje, não é? - era uma pergunta retórica. E feita com uma calma que a desarmava e a desesperava de raiva ao mesmo tempo! ... e ele disse:  - eu NÃO sei se vou ser feliz ao teu lado...

Ela não entendeu direito... Será que finalmente pela primeira vez ele tinha alguma dúvida...? Será que ele estava amadurecendo? 

Ele continuou:

- ... mas eu sei que se não for ao teu lado, eu não vou ser feliz."


(Outro conto que estou escrevendo… Provisoriamente tem o título de “Entrelinhas”, porque a intenção é fazer o leitor descobrir as verdades nas entrelinhas… podem ser as verdades dos personagens… ou as suas próprias…)
Por Luís Augusto Menna Barreto

24 comentários:

  1. Uma certeza...ao seu lado quero estar...assim sou feliz...simples e belo...por que complicar?????....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é bom ver um comentário leve assim, de ti, Tel... poético... ritmado... rimado...
      Muito obrigado, Tel!

      Excluir
  2. Mas eu não serei feliz se não for ao teu lado. Simples assim...

    ResponderExcluir
  3. Dúvida ou certeza?
    Ele apenas aparentava uma segurança que ela imaginava existir nele. Mas nem ele mesmo sabia se seria feliz ao lado dela. E ela chegou a imaginar existir nele a dúvida. Só que não. Ele tinha a certeza - a de que não seria feliz se não fosse ao lado dela.
    Quem mais estimula o sentimento do amor?
    Penso que a dúvida.
    E se ele desse a entender a existência de uma dúvida nos sentimentos dele?
    Ela se interessaria por ele?
    Juro que eu faria esse jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria...
      É tão interessante quando acontece assim... quando quem lê, vê bem mais longe do que quem escreve...
      Quando eu estava, ainda, lutando contra os personagens desse conto que abandonei e não o escrevi mais, a idéia era tão mais simples: era simplesmente dizer mais ou menos o que foi dito: ele não sabia se seria feliz com ela... mas sabia que SEM ela, não seria. E meu raciocínio foi simples: sem ela, ele já sabia como era... e era triste. Com ela, ele não sabia, porque não a teve...!
      E tu viste tão mais...!
      Como é bom...!

      Excluir
  4. Concordo que se ele porventura mostrasse dúvidas em relação as seus sentimentos,talvez ela o valorizasse mais...
    Não vejo isso como regra...
    Más sabemos que têm pessoas que são assim...
    Seria o caso dela??
    Me intrigou um pouco esse diálogo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Michele.... sempre grato por vires aqui...
      Deixa eu pedir para leres a minha resposta à Maria Zélia, logo ali em cima do teu comentário... porque a idéia era muito mais simples...
      Ah.... obrigado...!

      Excluir
  5. Parabéns poeta, vc sempre nos leva a descobrir verdades nas suas linhas secretas. Lindo.
    Todas as pessoas de boa vontade que sentem medo devido a situações como esta, precisam saber que estamos em uma fase de transição para um mundo melhoreal, e que elas não têm nada para temer, e sim para exultar pois o amor não se decifra em palavras mas sim no que sentimos no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... em outras palavras... o amor sequer precisa entender suas razões...!
      Mil obrigados, Dr, Izamir..!

      Excluir
  6. E o copo?
    Está com água pela metade... está meio vazio ou meio cheio?...
    E aquela porta?
    Entreaberta... ou semi fechada?
    E qdo saio (mesmo sabendo que retornarei)?
    Me afastei... ou apenas estou adiantando o tempo do reencontro?
    Como saber?
    Não há...
    Cada um com seus olhares, cada um com suas próprias análises...
    Quem está certo?
    Nenhum. Os dois.
    Tudo depende apenas de deixar-se ser feliz no momento presente.
    O futuro?
    Deixa pra viver depois!...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Poetiza... deixa pra ler e degustar agora teu poema... e pensar depois...!

      Excluir
  7. Ele só queria que ela entendesse que:
    Ele a queria por perto,
    Ela o fazia feliz, seu bom dia alegrava...
    seu boa noite acalmava e
    trazia até um leve sorriso aos lábios.
    Gostava da companhia dela,
    mas...queria continuar com sua liberdade,
    não seria feliz se ela saísse da vida dele...
    portanto, acredito que ele queria dizer:
    "_ Só quero continuar a ter você perto de mim,
    conversar, rir, e chorar se eu precisar...
    apenas aceite-me como sou... livre...
    e deixe eu continuar sendo feliz com você, sem ter que viver ao seu lado!"
    Foi o que senti Poeta , Ótima noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E que sentir bonito... tão além de mim... tão além do que pretendi...
      Como é bom....
      Mil obrigados...!

      Excluir
  8. Pois é... que situação. Que tantas barreiras, percalços. ahhhhhh o amor algo incrivelmente complicado de se explicar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem inventou o amor?
      Me explica por favor
      Quem inventou o amor?
      Me explica por favor

      Vem e me diz o que aconteceu
      Faz de conta que passou
      Quem inventou o amor?
      Me explica por favor

      Daqui vejo seu descanso
      Perto do seu travesseiro
      Depois quero ver se acerto
      Dos dois quem acorda primeiro

      Quem inventou o amor?
      Me explica por favor
      Quem inventou o amor?
      Me explica por favor

      Enquanto a vida vai e vem
      Você procura achar alguém
      Que um dia possa lhe dizer
      - Quero ficar só com você

      Quem inventou o amor?
      (Renato Russo - Legião Urbana - Antes das Seis)

      Excluir


    2. PERDI O TEMPO DA POSTAGEM. SÓ CAYMMI PARA ME SOCORRER:


      Não fazes favor nenhum
      Em gostar de alguém
      Nem eu, nem eu, nem eu

      Quem inventou o amor
      Não fui eu, não fui eu
      Não fui eu, não fui eu nem niguém

      O amor acontece na vida
      Estavas desprevenida
      E por acaso eu também
      E como o acaso é importante querida
      De nossas vidas, a vida
      Fez um brinquedo também

      Não fazes favor nenhum
      Em gostar de alguém
      Nem eu, nem eu, nem eu

      Quem inventou o amor
      Não fui eu, não fui eu não
      Não fui eu, não fui eu nem ninguém

      Dorival Caymmi

      Excluir
    3. E qual dos dois tem razão, escritora.... os dois né...?
      Um pergunta quem foi... o outro limita-se a responder, como quem está sendo incriminado.........

      Excluir
    4. Não foi um diálogo legal?
      Adoro colocar textos para dialogar.

      Excluir
    5. Ah... maravilhoso... como sói esperar das tuas inspirações...!

      Excluir
  9. Tenho um grande amor.... que posso gritar....com tanta dor.... que amo...que amo...meu senhor....com loucura e amor... amor um homem sedutor.... com ódio ou amor.... seja qual for... grito meu senhor....porque assim....pra ele não se esquecer de mim... Então volto a gritar.... em qualquer hora.....em qualquer lugar...como posso só eu te amar....pois assim não posso te encontrar....para sempre vou te amar...À amor... tão sonhador que for..
    Não sei....Se tenho um homem a preparado.....para viver do meu lado....À amor com fúria e calor....enche meu peito de dor....com tanta dúvida desse amor...que perfeito for....com loucura é amor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senti tua falta por aqui... do ritmo sempre alegre que emprestas aos comentários..!
      Que bom que voltaste...!!!!!!!!!!

      Excluir
  10. Mesmo que pareça não saber o que quer, saber o que não quer já revela uma certeza. Poder afirmar que longe dela não será feliz já responde a questão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tão exato....
      ... foi o jeito dele dizer "te amo"....
      Um imenso abraço, Thais...!!

      Excluir