quinta-feira, 12 de maio de 2016

pensamentos perdidos - Conto de Ella - Capítulo XV - Final

Pensamentos Perdidos:
(Conto de Ella - Capítulo XV - FINAL - um conto com trilha sonora)

... e eis que os anos foram passando...

Esse amor, tão particular, tão diferente, mas tão indubitavelmente amor, resistiu...

Houve raivas... houve outros braços... houve sonhos sonhados, ditos ou não...

Houve cobranças, quando a paixão era grande demais para suportar-se em si mesma... houve mais raivas...

Ella continuou livre... e finalmente, entendeu-se livre... porque se permitiu amar e aceitar o amor... daquele jeito... tão particular e tão inapelavelmente amor...

Ele, aprendeu a conformar seu amor, nos poucos raios de sol que recebia de Ella... mas que lhes eram suficientes...

Aceitava-a... Aceitava-o… E era amor... de ambos... depois de todo esse tempo.

Fim…                                 ?

(Fragmento de um conto sem nome - que passei a chamar “Conto de Ella”. Hoje, o capítulo XV - FINAL - de um total de 15; continuação dos "Pensamentos Perdidos" das postagens:

Capítulo I, post 24 março 2016;

Capítulo II, post 27 março 2016;

Capítulo III, post 31 março 2016;

Capítulo IV, post 2 abril 2016;

Capítulo V, post 7 abril 2016;

Capítulo VI, post 10 abril 2016;

Capítulo VII, post 14 abril 2016.

Capítulo VIII, post 17 abril 2016

Capítulo IX, post 21 abril 2016

Capítulo X, post em 23 abril 2016

Capitulo XI, post de 27 de abril de 2016

Capítulo XII, post de 1 de maio de 2016

Capítulo XIII, post de 5 de maio de 2016

Capítulo XIV, post de 8 de maio de 2016


todos aqui do blog!).

(Quando escrevi este conto, imaginei-o com a trilha sonora de cada capítulo... no original, o trecho da trilha sonora imaginada para a narração, vinha ao lado do texto. Por questões de formatação, não consigo fazê-lo aqui. Em breve estará disponível na iBooks e Amazon, o conto completo… Com a indicação da trilha sonora! 
Para cada capítulo, há uma música diferente, com os versos da letra, pinçados por mim, para interagir com o conto. 
Penso que muito se esclarecerá com a trilha sonora. Muitas frases soltas, passarão a fazer sentido. Porque jamais o imaginei sem as música… então escrevi apenas umas partes… as outras, a trilha sonora é que conta!)

Por Luís Augusto Menna Barreto 


40 comentários:

  1. A aceitação de cada um do jeito que é, nada de se anular em prol do outro, enfim juntos pelo amor e separados pelas diferenças...mas o amor venceu....a força do amor supera tudo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cena que imagino, é, finalmente, ele em algum dia, grita o nome dela, na entrada de alguma festa, olha nos seus olhos e diz, assim seco, cru: "eu te amo"...
      ... e, finalmente, ela sorri... olha prá ele e diz "eu te amo" do jeito que ela sabe: "eu também!" Da um beijo em sua boca, e não o convida para a festa, mas diz: "vem me buscar..."
      E, então, ela entra, depois de olhar duas vezes para trás... e ele, finalmente, vai com um sorriso pra casa... sabendo que será ele que a buscará quase pela manhã...
      É assim que entendo que quebraram as barreiras... e aceitaram-se...!

      Excluir
  2. À poeta amor com emoção...linda canção...canção e amor...uau que delícia de sedução...apaixonado que for estou com meu amor...ou amor que perfeito for, anos passou por sonhos e pavor , tenho o meu amor ...a amor emesquesivel amor...com emoção e valor...valor real e o final...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai ai...... (suspiro).... tão agradável o ritmo em que respondes.......
      Obrigado, guria... continuas visitando e deixando teus comentários...!!

      Excluir
  3. Amei o desfecho do conto, o amor vai permanecer, ainda que a distância entre eles faça parecer
    Impossível, ambos se aceitaram e vão levar consigo este amor....quem sabe o que o universo preparou para o futuro deste belo e verdadeiro sentimento. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que o principal foi exatamente isso: aceitaram-se....
      ... esse parece ter sido o segredo. Descobriram-se como são, amaram-se como são... vou torcer para que se mantenham assim: aceitando-se!
      Obrigado, Sônia... mil obrigados...!

      Excluir
  4. É o amor na sua plenitude...Aceitando as diferenças de cada um...Más é amor..Ele venceu...!!
    Aceitar o que cada um é,suas convicções,acho que é a maior demonstração de amor...e isso aconteceu...!
    Eu adorei o desfecho....
    É mesmo o desfecho autor?


    Aquele ponto de interrogação no final...Me inquietou...
    Sempre haverá amanhã...Até pra ele e Ella,que se tornaram vivos nos nossos corações...!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michele... adoro quando comentas... mas hoje, preciso perguntar: quando falas "ele venceu"... tu te referes a "ele" personagem, ou "ele" amor...?
      Quanto ao final... ahhh... a vida continua... quem sabe um dia, no futuro, não os encontramos numa caminhada qualquer e descobrimos como andam...??

      Excluir
  5. É! O amor resistiu nas suas diferenças... um completando o que faltava no outro... O amor é assim! Tem que haver aceitação dos dois lados, mesmo não havendo satisfação. Ele e Ella! Uma despedida? Acho que não. Ficou uma interrogação! E vamos nós, nos acostumar com a ausência da presença dos dois nas nossas manhãs das Quintas Feiras, que nos trazia sol... vida... amor...! Viva, Ella, na sua liberdade de amar! Viva ele, na sua conquista do amor! E viva o poeta, que nos presenteou com a sua poesia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E, antes, "viva" muito mais a ti, professora, pela tua escolha em ensinar... só sou quem sou, porque, como tu, tive em minha vida, pessoas iluminadas que não desistiram desse guri hiper-ativo! Ao depois, "viva" a ti, enquanto leitora, que me brinda, sempre, com tanta generosidade...!!!!!
      Mil obrigados....
      Quem sabe se daqui a algum tempo, não os encontraremos para conversarmos... e descobrirmos como estão....?

      Excluir
  6. Ahh...o Amor!!!
    Quão lindo este final, tão esperando, demonstrando que, mesmo à distância, este Amor persistiu entre eles, e não há final.
    "... De tudo ao meu amor serei eterno..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... antes e com tal zelo e sempre, e tanto...
      que mesmo em face a maior encanto,
      dele se encante mais meu pensamento..."
      Mas báh, Silvina... assim é covardia, colocar um poeta de verdade no comentário...!!! Ave Vinícius!

      Excluir
  7. E depois de tantos tropeços e acertos, o amor venceu... Mesmo com falhas, mesmo com braços alheios entrelaçados, mesmo na inconstância dos dias...
    Aceitar as diferenças é regra de ouro, quando compreendemos que o outro precisa de espaço para sentir-se seguro de onde pode estar e ficar...
    Confesso que não aceitaria um amor enroscado em outros... Tenho essa falha.
    Mas admiro quem assim o consegue, pois desprende-se para aceitar diferenças e objeções! Cada amor, cada relacionamento com seus “rasgos” nas paredes da história!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E agora...? como construir um agradecimento para algo tão lindo quanto isso?
      "Cada amor, cada relacionamento com seus “rasgos” nas paredes da história!"
      Acho que só essa frase, já constrói um conto inteiro.....
      Mil obrigados, poetiza...!!!!!

      Excluir
  8. E viva o amor!!! Viva a diferença!! É só o amor, é só o amor que conhece o que é verdade...!!!! O importante é que estejam felizes, independentemente dos tropeços, estes fortificam a relação e ensinam que o respeito é a base de tudo!!! Respeitar, amar e rezar, sempre!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... e diria eu, Camila: "Respeitar, amar e rezar sempre... JUNTOS".... mesmo que cada um do seu jeito...!!!
      E como é bom quando há felicidade, em meio a tropeços... porque certamente o amor estará maduro!!!
      Suuuper obrigado, Camila!!!

      Excluir
  9. Dentre os vários sentimentos que tive durante toda essa luta do Amor, fiquei feliz por eles! Em ambos se entregarem ao que a Vida lhe oferecia! Apesar de distante desses personagens a partir de agora, continuo na torcida pra que dê certo todos os dias do resto de suas Vidas! E viva o Amor da forma mais pura, simples e doce!!... Com todos seus 'poréns' e diferenças, mas Amor!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bonito teu comentário, Marina... Realmente bonito. Acompanhando teus comentário ao longo dos capítulos, era realmente fácil notar o quanto tu te envolveste... foi tão bom.
      A agora, tu brinda o blog com esse comentário tão verdadeiro, tão maravilhosamente carregado de uma simplicidade bonita...
      Obrigado. Mil obrigados!

      Excluir
  10. FIM?
    É a intenção do autor. É o que "ele" pensa. É o que Ella pensa. O amor na conformação das diferenças.
    "Aceitava-a... Aceitava-o… E era amor... de ambos... depois de todo esse tempo."

    O tempo passou. Não mais há possíbilidades de precipícios, de novas danças de outros braços. Isso é o que "ele" e Ella criam.

    Ah! como eu os conheço!
    Como vi o espanto em seus semblantes, quando novamente uma música Ella ouviu e seu corpo, aos se arriscar num pequeno balanço, não se conteve e ao ritmo se entregou. Mais um precipício. Mais um voo. Outras dores. Outras raivas. Tudo de novo a acontecer.

    Ah! Como eu conheço esta história, meu caro autor!

    Ella continuou livre... e finalmente, entendeu-se livre... " "Ele" continuou preso ao amor por Ella, posto ter aceitado o incontestável fato de que eram diferentes e que assim continuariam até que a morte os igualasse.

    XXXXXXXXXXXXXXXXXX

    Parabéns, querido escritor! Gostei imensamente do final aberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como estou dizendo em várias respostas, espero encontrar ele e Ella por aí... quem sabe em lua de mel em Barra Grande, Maraú, passeando na praia... depois, ele indo dormir cedo e ela misturando-se com os nativos em algum luau até o amanhecer.... daí, conversaremos, te convido para a conversar, e beberemos com Ella (enquanto ele dorme na rede entre as árvores) até amanhecer e tomarmos o banho de mar acompanhados com os primeiros raios do sol.....

      ... a... haverá de ter histórias, ainda, para contar.... !!!

      Excluir
    2. Sim, haverá. Convite aceito, conversaremos e beberemos com Ella. Provavelmente eu também dançarei nas areis mornas. Rodarei minha saia grande, ao luar, e direi a Ella para também te convidar à dança.
      Depois, salgaremos nossos corpos num banho de água azul e de raios dourados de luz!
      Por fim, deitaremos nas areias quentes, embaixo de uma amendoeira frondosa e sonharemos que somos garças.

      Excluir
  11. Lendo novamente, respondo: Fim ? Não, não é o fim, mas o início!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há uma música da banda gaúcha "Engenheiros do Hawaii", em que há o seguinte verso:
      "acho melhor começar tudo de novo do que acabar pela primeira vez!
      Nossos sonhos são os mesmos há muito tempo
      mas não há mais muito tempo pra sonhar..."

      Excluir
    2. Maravilhosa letra tem esta música. E vida é curta, não temos muito tempo para pensar, mas muito para viver. Obrigada pela gentileza de compartilhar conosco tão bela letra. Sucesso sempre !

      Excluir
  12. Começo assim: NAAAAAAAOOOOOO.......NNNNAAAAOOO... Inadmissível, por uma liberdade que era do d'Ella, os dois deixaram de viver o melhor do amor. Anos passados que foram anos perdidos chegam, agora, já amadurecidos e sofridos mais pelo mal me quer da vida e desse relacionamento e de dizer NÃO e de esperar sempre migalhas de um não sei o que de sentimento, ele se aceita assim como e e aceita Ella como sempre foi. Perderam muito tempo, perderam muito carinho e o mais importante, perderam o melhor tempo de AMOR E DE AMAR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que existe um "tempo certo" em nossa vida para amar....?
      Mas fiquei feliz que de alguma forma, o final não foi o que esperavas....! É importante, Dr. Valdomiro, uma voz dissidente...!!!
      Um imenso abraço...!!!!!
      Gostei MESMO do seu inconformismo!!

      Excluir
  13. Um fim digno de seu espírito livre de amar e ser amado independente das circunstâncias, o que importa é o amor. Como se diz só o amor é capaz de fazer o amor acontecer. Valeu amigo. Parabéns. Vc nos cativou e por isso aguardamos o livro. Para curtir tudo de novo de maneira integral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Dr. Izamir.... tenho sido tão incentivado.... estou pensando mesmo, com muito carinho em um livro... vamos ver...!!

      Excluir
    2. 👏👏👏👏👏👏👏 livro!!! oba isso sim Dr. Faça o livro, estarei na noite de autógrafos.....

      Excluir
    3. ... se isso acontecer, haverá um sorriso enorme em mim de ver-te por lá...!!!

      Excluir
  14. Muito bem dito, Izamir, aguardamos o livro.

    Solicitando sua permissâo, copio suas palavras:
    "só o amor é capaz de fazer o amor acontecer".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é bom ver isso....... deixas eu copia o que veio de tua precisão em observar, escritora: "só o amor é capaz de fazer o amor acontecer".
      Mil obrigados!

      Excluir
  15. Talvez muito amor para ele, pouco amor para Ella. Mas era amor deles. A forma como sabiam amar.
    Amor e amar... Simples assim... Amor...

    ResponderExcluir
  16. Amor quando alcança as notas mais altas se torna incondicional. Se existir uma razão para amar perde em pureza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah... amor sem razão.... tão mais amor....!
      Obrigado, Thais!!

      Excluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que removeste, antes que pudéssemos ver......?

      Excluir
  18. Amo como ama o amor.Não conheço nenhuma outra razão para amar se não amar.Que queres que te diga?além de que te amo,se o quero dizer-te é que te amo.(Fernando Pessoa).


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E agora...?
      Se me emprestas Pessoa, acho que viro bicho...
      É olhar, admirar e agradecer tua gentileza.
      Mil obrigados, Sheyla!

      Excluir