segunda-feira, 13 de junho de 2016

DIÁLOGOS - "... ouvindo o POETA!"

Diálogos:

Este dialogo foi travado por escrito, e contei com a generosidade tamanha do POETA Lualves. O conceito é dele, a frase também. Eu escrevi aqui, simplesmente. 
Discorre melhor sobre isso no maravilhoso video “Pescador de Estrelas”, que indico no mural do blog (versão para web - computador e tablet), no lado direito, onde poderás ouvir do próprio POETA!
Pode ser acessado nesse link: O Pescador de Estrelas - CLIQUE AQUI

O POETA Lualves falava da vida…:
“… é preciso seguir em frente…”
É”, concordei, “… há muito mais a percorrer”.
“Muito menos”.  (Ele olhava longe…. uma lonjura que trespassava almas…)
Não entendi… mas vi que ele completaria… estava organizando os pensamentos em si mesmo.
“… cada instante a mais, é um instante a menos…”

Por Luís Augusto Menna Barreto
citando os conceitos que me foram ditos pelo poeta Lualves

26 comentários:

  1. É...
    Se pensarmos, por mais poesia e lindas que sejam as palavras fo poeta, essa é a grande verdade: cada dia vivido a mais será sempre um dia a menos em nossas vidas.
    Mas... é vida que segue...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bora então, dizer que a menos são os dias de dores e, somados em nós, os dias bons...!

      Excluir
  2. Não, nada disso. Vamos mudar de lugar. Olhemos de outro ponto!

    Cada dia vivido é mais vida experimentada, é mais sabedoria acumulada, é mais emoção sentida, é mais um presente de DEUS recebido.

    Vocês dois parem com isso! Não cultuem a morte! Para quê?! Ela vem de qualquer jeito. Não é preciso cantá-la.

    Bora VIVER!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,

      Sempre a nos resgatar! Cantei-a... por vezes... por anos... não que a quisesse... Cantei-a, muitas vezes sem dizer qualquer palavra. Pois que meu canto é reflexão. É que sou curioso. A curiosidade de Hesíodo, ouso dizer. É tudo Poeta. Cada, com seu tamanho. Mas, Poeta. Mas, sabe de uma coisa, Ana? Sou só emoção. Às vezes de uma fala-canto negro, surge uma surpresa, como esta... Olha aonde, pelas mãos do Menna, o Poeta veio parar...

      Excluir
    2. Não vi, escritora, esse diálogo relacionado à morte. Vi no diálogo um caminhar. Cada passo dado, é um a menos em relação ao destino da caminhada. Nada mais que isso. Fora isso... morte tem sempre que ser algo ruim? Não podemos fazer um pouco de graça ao pensar nela (veja, não estou a desfazer da dor da morte de casos concretos, das pessoas que amamos... estou falando graça da morte em si!)
      Por exemplo, Luis Fernando Veríssimo tem ótimos epitáfios prontos, como esses:
      "Por favor, dêem mais uma sacudida"
      "Viva todos os dias da sua vida como se fosse o último. Um dia você acerta".
      Outro dia, vi em algum lugar um (em foto real de uma lápide) que era mais ou menos assim:
      "(Fulano de tal)...... está aqui contra a vontade!"
      Achei ótimo!
      Por fazer graça!

      Excluir
  3. "É preciso seguir em frente"...
    "há muito mais a percorrer"...
    "cada instante a mais, é um instante a menos"
    Prefiro comentar um outro lado da poesia, ou como eu a entendi, -Pensei, quanto mais demoramos a aceitar as coisas, e decidir nossos caminhos, menos tempo teremos para aproveitar nossas boas escolhas.- Porque olhar para o poema como uma mensagem negativa? Eu gostei Poeta, sou otimista, e vi este poema com positividade e dependendo da ótica em que lermos, veremos a perspectiva de dias melhores, ou a queixa por nada fazer,a alma é eterna, e ele olhava além dela!!! Ótima tarde amigo Menna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, guria!!!!
      Mais ou menos o que eu estava ainda agora falando ali em cima!!!!!!
      Super obrigado por colocares isso com palavras mais bonitas que as minhas!!!

      Excluir
  4. Concordo com você Prezada Ana da morte temos certeza que virá não importa quando nem onde dela não quero saber pois desejo tanto viver que da vida faço apologia procurando caminhos e companhias pra dizer, sempre serei parceiro farei de mim o melhor pra te-los comigo e tornar a minha vida feliz.
    Viva Santo Antônio de Lisboa onde nasceu ou de Pádua onde morreu pra fazer o bem e construir um mundo melhor junto com São Francisco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viva, sim, Izamir!
      Viva Santo Antônio, padroeiro de Barra Grande-Maraú - Bahia
      E viva a vida, com tudo que Deus, por meio dela, nos dá de bom!

      Excluir
    2. E viva Santo Antônio, padroeiro da minha bela, querida, saudosa, lendária e inesquecível Santo Antônio da Patrulha, onde eu me criei subindo e descendo a lomba!!!!

      Excluir
  5. "...lonjura que trespassava almas..."
    Só com esta reflexão, já nos remete para mais sabedoria, mais emoção, sentimentos, vontades... Para seguirmos em frente. Agradeçamos por cada novo dia, pela possibilidade de sairmos, trabalharmos e podermos(na melhor parte do dia) trocarmos palavras, aqui.

    Obrigada, meus caros, pela oportunidade de estarmos juntos neste espaço .

    Sigamos em frente, sempre!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bora.... bora seguir em frente, Silvina.... ..... ah, mas podemos dar umas sentadinhas pelo caminho... pra ver a vida passar!

      Excluir
  6. Caro Menna,

    Que honra tu me deste! É tanto que nada consigo dizer. Sobre a temática? Já o disse. Sobre o diálogo? Fiquei mudo... Espanta-me a tua gentileza, bem como esse olhar teu sobre as coisas que encontras. Sigamos juntos... sempre...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espanta-me gentileza, a tua, de dividir teus poemas queridos e sem querer, com a gente... como me disseste aquela frase, entendi ser um diálogo. Como era maior que eu o que disseste, quis dividir pra não ficar eu com a fartura da poesia do amarrado na tua frase que transborda os limites do que meus braços carregam!

      Excluir
  7. Tenho a impressão, Lu, que a honra é mútua. E o contentamento de vê-los juntos é todo meu. É tão bom quando somos ponte!

    Um beijo com recheio de carinho nos dois!

    Um dia eu conto como ponte gera ponte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... e olha que, de ponte, entendo eu! (De andar nelas). A cidade de Afuá, no Marajó, é praticamente uma Veneza paraense! E tem, também, a ponte do Cafezal em Curralinho, Marajó. Enorme que cansa só de tentar ir até o fim....! E tudo, de fato, vai ligando gente! Bonito de ver!!!

      Excluir
  8. Show!!!!!Na escola eu tinha um professor, talvez triste com a vida que tinha, dizia que não comemorava aniversário pq era menos um ano de vida.... Não concordava, não concordo agora, pois um dia vivido mesmos que que não seja como desejamos é um dia em que aprendemos alguma coisa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não lembro se foi Borges.... mas teve um qüera desses (escritores de verdade), que teria dito:
      "A vida é tão injusta... quando começamos a aprender, já é momento de morrer"...
      Ah, sei lá... deixa eu aqui, na ignorância dos dias bons, entre sorrisos e abraços...!!!
      Bora na onda do filósofo do tamborim e pandeiro: "Deixa a vida me levar..."!!
      Obrigado Flávio!

      Excluir
  9. Isso, Flávio, deve ser comemorada, celebrada, louvada!
    Sou, sim, POETA, sou louca e DESTRAMBELHADA pela vida.

    Não sou a donzela pacata, comedida e recatada que olha para a vida com cara de enfado e tem medo de viver.

    Sou uma mulher que nasceu com vocação para ser feliz. E ser feliz nesta vida, tendo como princípios o AMOR, a GENEROSIDADE e a JUSTIÇA.

    Nem sempre consigo, é verdade. Porém, monto em meu cavalo alado e voo atrás da VIDA PLENA.

    Sou, sim, POETA, sou DESTRAMBELHADA. O equilíbrio de que preciso não é aquele que me fará normal e me estabilizará na média. Esse equilíbrio eu não quero.

    Um grande beijo cheio de carinho e de DESTRAMBELHAMENTO!

    ResponderExcluir
  10. Falou, POETA. É que os destrambelhados se reconhecem.

    E se admiram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hein???? ..... peraí que tô raciocinando essa, ainda..........

      Excluir
  11. Boa tarde a todos! Quantas pontes!!! "A ponte nem tem que sair do lugar, aponte pra onde quiser/A ponte é o abraço do braço do mar com a mão da maré/A ponte não é para ir nem pra voltar/A ponte é somente pra atravessar/
    Caminhar sobre as águas desse momento (...)" - Lenine

    Eu não sou lá muito trambelhado. Então...e agora...o que que eu sou?

    "Nasci sob um teto sossegado, meu sonho era um pequenino sonho meu, na ciência dos cuidados fui treinado, agora, entre o meu ser e o ser alheio, a linha de fronteira se rompeu…" - Waly Salomão, in "Câmara de Ecos"


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, vou mandar essa:

      "Não estou no lugar,
      Não estou onde devo estar,
      Estou num mundo que não é meu!
      Pode você não gostar,
      Do meu jeito de estar,
      Mas assim sou, este sou eu!!"
      (euzinho aqui escrevi essa aos 13!!!)

      Excluir
  12. É, escritor... vendo você postar esse Poema feito aos 13... realmente precisamos conversar... (vide comentário que fiz no palavratura, em resposta a Norminha, no poema "Fora de Pauta". Você entenderá)

    Bravo!!! Admiro-te!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poeta Lualves..... a admiração é recíproca, mas não respeita a física... a admiração que sentes reflete em mim em sentido contrário, mas com maior força e intensidade...!

      Excluir