quinta-feira, 2 de junho de 2016

lost thoughts - "... mathlove" / pensamentos perdidos - "...amorítmos"


The math of love never obeys the exact. When of 2, there is only my own 1, I feel that there is always less than my half ...
A matemática do amor nunca obedece ao exato. Quando de 2, resta apenas o meu próprio 1, sinto que sobra sempre menos de minha metade… 

... despising the strength of the numbers and the rigor of the demonstrations, this my half, without any addition, transforms over time into the new whole of myself.
… desprezando a força dos números e o rigor das demonstrações, essa minha metade, sem qualquer adição, transforma-se com o tempo no novo inteiro de mim mesmo.

And gradually I am learning that the half I am in, shows itself to be bigger and stronger than the whole that I was before I was divided ...
E aos poucos vou aprendendo que aquela metade na qual sobrei, mostra-se maior e mais forte que o inteiro que eu era antes de ser partido…

... but there is no logic in this mathematics ... because when I feel your goodbye inside me, I perceive within me an empty set ...
… mas não há lógica nessa matemática… porque quando sinto teu adeus dentro de mim, percebo-me um conjunto vazio…

By Luís Augusto Menna Barreto
Por Luís Augusto Menna Barreto

Originally posted on the old blog
"Menna Comments", precursor of this.
Date of original post: 10.03.2016.
Comments on original post: 8.
Views until withdrawn: 296.
Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 10.03.2016.
Comentários na postagem original:  8.

Visualizações até ser retirado:  296.

28 comentários:

  1. Só a sua matemática para dar lógica ao amor... Que nos fere e nos cura, sem razão. Adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah.... estou sempre aprendendo a fazer contas... e o resultado sempre tem vírgulas...!!!
      Obrigado, Sylvia!!

      Excluir
  2. Arrasoooooooooou!!!!

    O amor nos deixa como fênix.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossas metades são sempre fortes... e acham em si mesmas um multiplicador para deixar-nos maior que o inteiro de antes..!!!

      Excluir
  3. Amigo lindo. A matemática do amor sempre soma e desta adição na maioria das vezes sempre surgem novos valores nos números que se juntaram e nos novos (filhos) que foram adicionados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Dr. Izamir...
      Nessa matemática, um mais um, começa em 3.... meu pequeno João que o diga!

      Excluir
  4. Ela não é lógica, todavia é uma matemática PERFEITA,
    "porque quando sinto teu adeus dentro de mim, percebo-me um conjunto vazio…"

    Verdade.

    Um abraço recheado de carinho em cada pessoa que frequenta este blog!

    Outro abraço todo especial em ti, meu POETA! Pena que agora o abraço seja sem SAL.

    Ai meu Deus, que saudade do SAL! Chega a doer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, perfeição.... acho que a característica da perfeição, para os escrevedores, é justamente fugir da lógica...
      Como é bom te ver sempre aqui...!
      Como é bom...!
      Obrigado, escritora!

      Excluir
    2. Obrigado querida parceira do blog Ana pelo fraterno Abraço, aqui devolvido acrescido na soma do nosso espaço.

      Excluir
    3. Que coisa gostosa, Isamir! Mais um abraço é sempre uma soma, cujo resultado é multiplicação.

      Vais a Fortaleza, no evento de novembro?

      Excluir
    4. Amiga Ana vou falar com o Luís pra conhecer detalhes da programação do evento. Eu e minha querida mulher (não quero provocar polêmica pois gosto mais de chamá-lá minha mulher que esposa com os nossos 25 anos de cada dos, aqui no Pará se diz mais minha mulher que minha esposa. Acho o termo mulher mais total,lindo e agregador de sentimentos.Mas voltando ao assunto devido ao recesso na UFPA iríamos a Fortaleza na segunda quinzena de Julho, como tem novo recesso em novembro vou falar com o Luís pra ver o período, saiba que teremos imenso prazer de conhecê-lá e aos demais pares do Blog. Um fraterno Abraço a todos.

      Excluir
  5. E onde está escrito que tem lógica no amor???
    A matemática do amor, por maus exata que seja, sempre será inexata!!!
    Assim, penso eu... Meu grande poeta!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O exato ponto da inexatidão dos sentidos...: amor!

      Excluir
  6. Falar do " Amor ", é, ao meu ver um risco. Eh como a rima... Há que se ter muita certeza dos caminhos da linguagem. Do contrário, cai-se da vala comum do mais do mesmo. Exatamente o que não ocorre nesse belíssimo texto. Uma conta simples, para traços sofisticados. Eh, Menna... De tão belo , nem quem porventura sofra de discalculia seria incapaz de compreender essa lógica tão profundamente tocante . Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bora descalcular tudo... como diria Herbert Viana, vamos fazer tudo passar pelo nosso "Caleidoscópio Sem Lógica", e colorir tudo com uma paleta de improviso...! Vamos amar sem fazer contas!
      Super obrigado, Poeta Lualves!!!

      Excluir
  7. É tão bom o amor, ele soma, multiplica...e mesmo qdo subtrai ou divide, no final como vc bem disse na matemática do amor o inteiro fica maior que era...Então sempre o amor nos adiciona, nos faz melhores....linda sua matemática poeta!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah.... linda é essa tua inderrotável gentileza, que sempre me faz maior, como os números do amor!
      Mil obrigados, Tel!!

      Excluir
  8. Nesta matemática, nada exata, demonstra o quanto somamos. Gosto da adição, dos sonhos. Façamos nossos conjuntos inteiros!!!

    "...quando sinto teu adeus dentro de mim, percebi-me um conjunto vazio..."

    Abraço, querido amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah... que seja inteiro... e que não os deixemos esvaziar com os "adeus" do caminho!

      Excluir
  9. Não sei somar, não sei dividir mas sei que todo meu ser se soma com a vontade, sempre, de te ver, de estar ao teu lado e dizer que te amo. Digo assim porque não existe coisa mais bela que o amor e, amando, a pessoa se encontra com seu eu, com seu amor, consigo mesmo e aí, se vê que e possível ser feliz, ser feliz. A felicidade existe, procure ser feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Barbaridade... há escondido, no meio do texto (ou de forma clara, nem sei bem), uma outra lógica: amando alguém, amamos a nós; buscando em alguém, encontramo-nos...!
      Obrigado, Dr. Valdomiro!

      Excluir
  10. Respostas
    1. Vê? Filho é o resultado 3 (às vezes 4, 5, 6...) da soma de um mais um!!!
      Obrigado, Dr. Jackson!!!

      Excluir
  11. É que esse tal de amor é uma equação ainda não resolvida..
    E esse mennaempalavras, um conjunto infinito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah..... A matemática sempre me fez errar as contas! Como tu, agora, Maria: o conjunto infinito, é tua gentileza!!!!

      Excluir
  12. À soma do amor...É um pavor...como posso somar.... Quando não dá.....matemática que é....isso é coisa de homem e mulher...soma assim....eu + você....Não pode esquecer....que esse amor... na soma já ficou...anos ser passou....e um conjunto ficou....como assim...sobrou tudo pra mim....pra mim.....sim....como assim....foi tudo que vivir....amor....amor até o fim....
    Quando acabou...um conjunto ficou...sim senhor...o que restou... à própria soma do amor....somando como for...É matemática meu senhor....como ficou... vazio meu senhor...calculado como for....conjunto vazio sim senhor....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, como é bom contar com a volta da tua alegria por aqui...!!!
      Obrigado, Geraildes...!!!!

      Excluir
  13. Perfeito, mas concordo com a Maria Zélia de que o amor é uma equação ainda não resolvida...
    Nunca se sabe quando vai dar certo.

    ResponderExcluir