quarta-feira, 15 de junho de 2016

poesia de ver - "... pedras com asas!"

Poesia de Ver



“… deixa eu ver só mais uma ganhar asas!”, apelava o menino, levado pelo braço, por seu pai.

Pedras não ganham asas. Deixa de bobagem!” Disse o pai, apressado, quase arrastando o menino.

Pobre pai… havia crescido. Virado adulto. Não sabia mais ver pedras ganhando asas…


Texto por Luís Augusto Menna Barreto

Imagem pela artista da lente Anne Matsuura (@annematsuura)

27 comentários:

  1. Pobre pai, perdeu o lado criança, os encantos da infância!!! Aprendemos muito com nossos filhos também, principalmente a leveza da alma, tantos problemas que temos que resolver é conviver no dia a dia, que só a pureza e as brincadeiras de criança nos deixam mais leves e felizes!!! Muito bom termos companhia como essas, sinceras, verdadeiras e com trocas mútuas de amor e respeito!! Aprendizados para ambos!!! Amo ser mãe!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Camila... é tão verdade isso...! Aprendemos tanto com eles... olhando bem, aprendemos até a ver asas em pedras novamente...!

      Excluir
  2. Uma pena virar gente grande em tudo. É preciso cuidar da criança e aconchegá-la na alma para continuar a ver e saborear o que é simples, natural e belo que vida nos presenteia todos os dias. Tornarmo-nos míopes, quando não, cegos para o essencial quando não cuidamos da criança que há em nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois, então, Norinha! E é necessário ver o essencial.

      Já virar gente grande... nem sempre é preciso.

      Excluir
    2. Ah, Nora, escritora... bora.... vamos sentar ali onde está o garoto antes de o pai levá-lo... vamos ver se reaprendemos a ver pedrinhas com asas...!

      Excluir
  3. Pedras criando asas ou borboletas voando com pedras, taí a diferença amigo a maneira de ver varia de acordo com percepção do olhar de cada um, mas o que importa é que em ambos se faz presente uma visão diferente da vida de cada um. Olhar pra nuvens e ver flores, animais e outras figuras é um exemplo da sua poesia o diferente está sempre presente na mente do vivente. Viva as diferenças porque o contraditório, questiona e na maioria das vezes constrói verdades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais que construir sonhos, é importante que construamos sonhos... quantas vezes, especialmente quando sabíamos, ainda, sonhar, não foram os sonhos que tornaram nossos dias mais leves.....? Que nos fizeram companhia....?

      Excluir
  4. Parabéns amigo pela maneira como vc constroe suas belas artes dando asas a imaginação de cada um de nós seus "parceiros " em se situar no contexto de sua obra. Valeu. Obrigado por momentos tão especiais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Dr. Izamir... o que me mantém assim, ativo, querendo cada dia escrever, certamente são vocês todos, que todos os dias, emprestam um pouco de vocês para, nessa imensa generosidade, vir aqui dividir suas vidas comigo...!
      Mil obrigados!!

      Excluir
  5. Retificando: tornamo-nos míopes, quando não, cegos para o essencial, se não cuidamos da criança que há em nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Retificaste tu, RATIFICO eu, o que já te havia respondido ali em cima...!!! Bora sentar um pouco.... vem...!

      Excluir
  6. Puxa... pobre pai... e o menino tomara não cresça...
    Que belo olhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... ou que cresça... sem matar o menino de seu coração...!!
      Obrigado, Sylvia!!

      Excluir
  7. Pois é, poeta, fiquei curiosa e vim...
    Triste do adulto que deixa a sua criança ir embora e passa a ver as coisas só com os olhos do adulto! E daí, poda-se as asas da imaginação e toda a essência da criança fica reprimida... Pena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, professora.... que vontade de estar ali na cena.... olhar para o pai, falar com ele.. dizer... espera.... só hoje, espera... vamos ali, voltar com o menino e ficar olhando um pouco... quem sabe se tu não lembras das tuas próprias pedras com asas.....?
      Obrigado, professora...!

      Excluir
  8. Ah! Como eu gosto desse menino que vê as asas das pedras. Sim, porque elas têm além de asas, vontades e coração. Elas são amáveis e gritam por nós, quando por elas passamos.

    É por isso que junto pedras. Quem me conhece de perto, conhece minhas pedras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... e eu sempre gostei dos caminhos de pedras... prefiro-as à lama, que prende, dificulta... gosto de subir em pedras grandes... elas me fazem ver mais longe....!

      Excluir
  9. Infelizmente poeta, muitas pessoas ao se tornarem adultas, sufocam a fantasia, a alegria, e acham que seriedade é sinônimo de responsabilidade. Ahhh não sabem o quanto perdem com isso. Ser adulto é poder viver intensamente, tornar real alguns sonhos e porque não... viver as fantasias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser adulto é bom... melhor ainda, se não esquecermos da criança que fomos... melhor ainda, se não esquecermos de como é ser criança... penso que o pai deveria, quando o filho fez o apelo, ter esperado... quem sabe aproveitado o momento para sorrir com o garoto....? Quem sabe aproveitado o momento para sorrir garoto ele próprio!

      Excluir
  10. Ah... meus olhos de criança...
    Em que vi pedras com asas, flores que cantam, pássaros que recitam poemas...
    Ainda tento carregar em mim tais singelezas (que o tempo insiste em arrancar, sem demoras, de mim)...
    Mas o mundo anda cruel.
    A fala é seca, o passo é curto, a pressa é certa. Certa? Certa é a criança, em cada um de nós, que fica nas pontas dos pés a cochichar: "Ainda estou aqui! Deixe-me sonhar! Deixe-me dançar!"
    E, vez ou outra, pego-me dançando tal qual fui um dia.
    Vamos lá, amigo! Vamos brincar onde as pedras nunca deixam de voar!...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos... vamos pegar a mão de todos e, quem sabe, brincar de roda...?? há quanto tempo não vejo, na rua, brincadeiras de roda...??!!!
      Bora, poetisa.... vamos chamar a todos... vamos fazer uma roda e brincar....
      "Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar...."

      Excluir
  11. Quisera todos nós manter pra sempre a criança que existe dentro de cada um.
    Feliz daquele que consegue enxergar as pedras ganhando asas...
    Mais uma vez, lindo meu poeta!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mana... mas, cá entre nós, fica fácil ler poesia nas imagens da Ane Matsuura.
      Queres ver? segue ela no twitter: @annematsuura1
      Cada imagem tão linda que ela posta...!!

      Excluir
  12. Tão bonito imaginar as pedras criando asas ... E não perder a vontade de se sentir/permanecer criança.
    Criança está, que vê o mundo de forma diferente do olhar do adulto. Vê, livre de "pré-conceitos", de ódios, de desumanidade, de falta de amor.
    Criança esta, que vê o mundo com a sensibilidade da alma, construindo asas para as pedras que encontrar ao longo de sua caminhada.

    Queiramos todos ver o mundo com os olhos desta criança...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou com os NOSSOS olhos, de criança.... bora recuperar nossos olhos de criança..... vem.....

      Excluir
  13. Foi no ponto. Virar adulto é perder a capacidade de ver a vida com as asas da imaginação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podemos crescer, sem deixar a criança.... abençoado pai, porque não sentaste um pouco com o filho e disseste: "é... olha ali, vai outra......" depois o chamarias e sairiam os dois... mas às vezes, somos adultos demais, não é mesmo...??!

      Excluir