segunda-feira, 11 de julho de 2016

diálogos - "... diferenças!"

Diálogos:

“Por que estás me deixando…?… eu me esforcei tanto para agradar-te!”
Eu sei!
“Tentei passar a gostar das coisas que tu gostavas, ouvir as mesmas músicas, ler os mesmos livros…”
Eu sei…
“Então, o que eu fiz de errado.”
Foi isso: deixaste de seres tu, para virares um pedaço de mim. Eu me completava nas tuas diferenças!”


Por Luís Augusto Menna Barreto



32 comentários:

  1. Exatamente isso...
    Nunca devemos abrir mão de nossa identidade para agradar outrem...
    E sim procurarmos de certa forma "agregar","juntar"nossos gostos,respeitando sempre as diferenças de cada um...!
    Amar é principalmente a aceitação do ser amado eis como ele é e não moldando-o ou moldando-nos a ele...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é exatamente isso: "... amar é principalmente a aceitação..."

      Excluir
  2. Que verdade!! Não devemos perder nossa identidade!! Quem gostar de mim, tem que gostar do jeito que sou, caso contrário não será eu!! Ame-se em primeiro lugar, depois ame o outro!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente......! Amar-se! É preciso haver amor em nós para que possamos dá-lo a alguém!!

      Excluir
  3. Perfeito, perfeito, perfeito! Duas metades que se completam são opostas, não iguais. Nas diferenças é que reside o mistério das eternas descobertas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sa sempre as peças diferentes que se encaixam!!!

      Excluir
  4. Assim é a vida...
    Um completando o outro.
    No entanto, cada um sendo "o seu um".
    Complementar... Não deixar de ser para agradar o outro.
    Assim é amar!

    ResponderExcluir
  5. Por mais que amemos alguém nunca deveríamos fazer esta renúncia pois gostei de você pra completar o que faltava em mim pra ser feliz. Caso contrário te completarei mas o que será de mim porque me perdi e não és mais o que queria de ti. Ficas completa e eu vazio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perderia o equilíbrio...
      .... um transbordaria o outro diminuiria de si mesmo....

      Excluir
  6. Sim!!!! Perfeito!!!
    Nunca abandonemos nossa essência!!!
    Todos somos únicos...com tantas particularidades... Com tantas qualidades e defeitos! E, se há alguém conosco, é para somar... Juntos, tornamos únicos , sem nos perdermos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre prestei uma carinhosa atenção nos defeitos..... eles que particularizam e tornam especiais cada pessoa...!

      Excluir
  7. O Poeta Menna, como sempre, nos levando a refletir sobre temas tão relevantes!!!
    Cada dia gosto mais desse blog!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, guria....
      Que gentileza tamanha a tua! Um milhão de obrigados....!!

      Excluir
  8. Caro Menna,

    A paixão comete esses desvarios... lembra do Drummond em "O Caso do Vestido":

    (...)
    Olhou pra mim em silêncio,

    mal reparou no vestido
    e disse apenas: — Mulher,

    põe mais um prato na mesa.
    Eu fiz, ele se assentou,

    comeu, limpou o suor,
    era sempre o mesmo homem,

    comia meio de lado
    e nem estava mais velho.

    O barulho da comida
    na boca, me acalentava,

    me dava uma grande paz,
    um sentimento esquisito(...)"


    Como não querer ouvir o que ela ouve?
    Como não querer sorrir o sorriso dela?
    Como não querer olhar pelo olho dela?
    Como não querer, ao deitar ao lado dela, abraça-la de maneira e desejar que nossos corpos se fundissem em um só, ainda que façamos, de certa forma, mas não parece suficiente?

    Será toda paixão tenha nascida já com sua sina de adeus?
    Será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Como não olhar pelo olho dela"...
      Ah, Yuri... Se eu olhar pelo olho dela, talvez veja a mim próprio... E sou tão só eu. Quero olhar pelo meu próprio olho: pra ver a ela!

      Excluir
  9. "(...) vida não é brincadeira, amigo,
    A vida é a arte do encontro
    Embora haja tanto desencontro pela vida (...)"

    SE LIGA ME LIGASSE,
    EU LIGAVA A LIGA,
    COMO A LIGA NÃO ME LIGA,
    EU NÃO LIGO A LIGA.

    Viniciu de Morais / Baden Power / Cultura Popular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BAH!??? Por quê?
      Não percebeste o tamanho do desencontro que há nas entrelinhas do travalíngua popular??!!
      Junte agora os versos do Poetinha com o dito do povo!

      "Te liga, bico!!!"

      Excluir
  10. Maravilhoso e verdadeiro...nunca devemos anular nossos gostos e fazer o que o outro quer e gosta, somente para agradar, isso nos torna sem personalidade e faz é desagradar, parece falsidade...quem quiser gostar de mim tem de me aceitar como eu sou, assim como aceito meu próximo como ele é...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem vai gostando de nós, vai gostando pelo que somos... se vamos deixando de ser nós mesmos, não somos mais a pessoa de quem gostaram..... viramos outra......!

      Excluir
  11. "Não fique onde não te cabe.
    Não diminua quem você é, pra caber no mundo de outro alguém."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Norminha...
      Tenho aprendido isso...

      Excluir
    2. Às vezes nem é o tamanho.... às vezes é o mudo errado... Um mundo que não é o nosso....!

      Excluir
  12. Um lindo e triste diálogo, poeta!
    Indiscutivelmente, nos completamos no outro, com aquilo que nos falta.
    Se perdemos o que há em nós, o que nos restará para doar ao outro?

    ResponderExcluir
  13. Boa noite Menna, na verdade, o que nos encanta no outro é o que falta em nós, viver em função de só fazer o que o outro quer, é viver a sombra dele e esquecer-se de viver por si mesmo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se mudamos a ponto de deixarmos de ser a pessoa que encantou alguém..... desencanta!

      Excluir
  14. Nossa. . . ! Acho que esse blog se tornou o meu vicio! Cada diálogo que vejo, descubro que tem muito a ver comigo. O olhar deste poeta, supera qualquer expectativa.
    Own💖😍👏👏👏

    ResponderExcluir