quarta-feira, 6 de julho de 2016

poesia de ver - "... bolo de chocolate!"

Poesia de ver:

Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 16.03.2016.
Comentários na postagem original:  6.
Visualizações até ser retirado:  263.




As mãozinhas que me entregam a pedra,

num sorriso me dizem que é um bolo de chocolate…

Na mesma hora descubro que da pedra se faz carinho…


… basta que não seja atirada…!



Imagem e texto por Luís Augusto Menna Barreto



43 comentários:

  1. Hummmm.... Delícia de bolo, nesta demonstração de carinho!!!

    Conservemos a criança em cada um de nós!!!

    Bom dia!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o segredo: se recebermos essa oferta, com os mesmos olhos de quem a entrega, o bolo será lindo e delicioso!!!!!

      Excluir
  2. O bruto sendo lapidado...
    Transformando-se em amor... carinho!
    A pedra pode ser tudo, depende de quem a segura e o que vai dentro do seu coração... Bom dia, poeta! Que mais pedras de carinho estejam no seu caminho e o torne mais leve de caminhar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Norminha,

      Eu me lembrei de um poema da Ana Macedo e do Lualves, (não me lembro o nome), em que é dito algo assim "Não quero palavra virgem, quero-a bruta, ainda que perfeito brilhante"... eu sinto um tanto assim, amando as pedras brutas, em estado de ser primitivo... Eu amo a bruteza das coisas... A beleza da pele de Estela sem maquiagem, cheirando a estrela mesmo... Eu olhos os montes e as campinas e também as pedras em suas irregularidades e anti-simetrias. Sabe...eu me lembrei foi daquela canção do Lenine:

      "O que é bonito,

      É o que persegue o infinito mas eu não sou,
      eu não sou não não
      Eu gosto é do inacabado, o imperfeito, o estragado que dançou,
      o que dançou

      Eu quero mais erosão menos granito
      Namorar o zero e o não
      e escrever tudo o que desprezo
      e desprezar tudo que acredito
      Eu não quero gravação nao
      eu quero o grito

      Que a gente vai, a gente vai e fica a obra
      mas eu persigo o que falta
      não o que sobra
      Eu quero tudo que dá e passa,
      quero tudo que se despe,
      se despede e despedaça."

      =========================================

      Sobre a pedra do Menna,

      Eu também vejo o bolo de chocolate. Senti-o em minha boca, derretendo-se em saliva e sonho.

      De uma singeleza maravilhosa!

      Saudações, nobre escritor!

      Excluir
    2. Ah, professora e Sedrick.... Que bom que em dois, vocês formam cinco: professora, Sedrick, Ana, LuAlves e eu.....!!!!! Como é bom uma pedra no caminho, se a pedra do caminho faz-nos caminhar juntos...!!!!

      Excluir
  3. A pedra, a criança, a palavra... tudo pode ser transformado. Depende das habilidades humanas. Como está poesia... que diz BOM DIA!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende, Sylvia, da nossa humana habilidade de não nos esquecermos de sermos crianças.... ou não esquecermos da criança que fomos!

      Excluir
  4. Nas mãos de uma criança pedra vira doce. A sensibilidade e a inocência das crianças deveriam ser exemplos para nós.
    Feliz de quem pode conviver com elas e aprender a ser um pouco mais gentil e/ou um pouco mais humano.

    ResponderExcluir
  5. Linda poesia...!!
    Não deixemos morrer a criança que habita em nós...
    É Sim um bolo de chocolate...Basta que vejamos assim...!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, sim, Michele, um bolo de chocolate... vem... pegas mais um pedaço...!

      Excluir
  6. Que sabor maravilhoso tem este bolo! !
    O sabor da Ingenuidade!!
    Que isto jamais seja tirado das nossas crianças.
    Bom dia!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que sejam o maior tempo possível, crianças.... sem pressa de crescer... sem pressa de amadurecer...
      Obrigado Armelinda!!!!!!

      Excluir
  7. Amigos hoje, diante das duas versões da nossa pedra, estamos vivendo um dilema. Pois hoje, na ânsia de suprir a falta, existiria excesso de tudo - menos de amor! É uma reflexão útil para os que estão atordoados, pois nem sempre têm tempo de pensar melhor de como usar suas pedras e para onde está indo a direção de seus afetos.

    ResponderExcluir
  8. Amigos diante do mundo louco que estamos vivendo, tem que ser mais fácil tirar os escudos do corpo e as paredes da vida do que aqueles que blindam o coração e não constroem pontes. A iminência do amor é capaz de despertar medo e angústia, desconfiança e resistência. Pois ao mesmo em que nossa pedra traz o amor, pode provocar a dor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é justamente nessa dicotomia que reside a deliciosa surpresa de receber a pedrinha como bolo.....!

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Izamir, a tua última frase faz-me lembrar do grande Augusto dos Anjos, em seu poema VERSOS ÍNTIMOS:

      "(...) Toma um fósforo. Acende teu cigarro!

      O beijo, amigo, é a véspera do escarro,

      A mão que afaga é a mesma que apedreja.(...)"


      Tu pareces uma pessoa muito boa, de alma cheia de nobreza. Que continues assim!
      Se algum dia eu for a Belém, quero te conhecer.

      Excluir
    2. Acertaste, escritora, de forma exata: Izamir é exatamente assim: muito bom e nobre! Que privilégio chamá-lo de amigo!!!

      Excluir
    3. Muito obrigado queridos amigos Ana e Luís pelas palavras carinhosas. Valeu. Teremos prazer em receber vc Ana. Como a convivência mesmo on line cria laços como os que estamos construindo no blog do nosso poeta.

      Excluir
    4. Ah, Dr. Izamir!! Temos de reunirmos!!!

      Excluir
    5. E eu quero estar nesta reunião de amigos, em Belém.

      Excluir
  10. Amigos, amor necessita de foco - e verdade - e na atualidade os filósofos voltaram a escrever sobre esse sentimento tão necessário para atenuar o trauma de viver em um mundo tão estranho e disperso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, um mundo novo descortina-se, ligando-nos aos distantes e afastando-nos dos de perto.... algo, também, para pensar....!

      Excluir
  11. "O mundo é bão João
    O mundo é seu João."
    Olha eu lembrando da música do Sebastião que tu elegestes pro João.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ave, Vivy!!! Ave, Nando Reis!!!!

      Que seja sempre bão!!!!
      "O mundo é bão, pequeno joão
      O mundo é bom pequeno joão
      O mundo é bom pequeno joão
      O mundo é teu, pequeno joão"!!!!!

      Que seja sempre essa nossa música!

      Excluir
  12. Gosto imensamente de pedras. A única coisa que coleciono na vida são pedras. E isso não é uma metáfora. Falo de pedras pedras.

    Certa feita, um moço bem próximo a mim, esquizofrênico, disse-me ao me dar uma pedra de presente:

    "Não são as pessoas que escolhem as pedras; são as pedras que escolhem as pessoas. Toma!"

    É que algumas coisas na vida são VISTAS, SENTIDAS E PRESSENTIDAS somente pelos MÍSTICOS, pelos LOUCOS e pelos ARTISTAS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Macedo

      Eu já fui místico...hoje, apenas os dois últimos...

      Excluir
    2. Yuri, meu Sedrick Yuri

      Hoje, tu não és mais MÍSTICO. Hoje tu MITIFICAS. E o teu MITO és tu.

      E mesmo assim, eu te quero um beeeeemmm...

      Excluir
    3. Como a escritora, acho que Yuri, o Sedrick, é, sim, místico...!
      E quantas pedras, e de onde, poderia Yuri J. Sedrick, mostrar-nos e contar suas histórias...?

      Excluir
    4. Não, Meritíssimo. Não o acho místico. Acho-o MITICO

      Excluir
    5. Parabéns amigos pelas versões diversas que constroem lindas formas de interpretação dos dizeres aportados nestes depoimentos.

      Excluir
  13. “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto , caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”
    (Mateus. 6:22 e 23).

    Os olhos luminosos enxergam a beleza da criação. Transmuta a pedra em doçura no carinhoso gesto de presentear.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que os olhos sejam sempre bons, Thais... que vejamos sempre bolos de chocolate!!!

      Excluir
  14. Uma pedra vira um coração, quando as mãos que a tocam trazem carinho e amor puro, este é o verdadeiro sentido da vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que a pedra vire coração sempre... que corações jamais sejam pedras...!!!

      Excluir
  15. Que belo poema, caro amigo!
    E como temos a aprender com os pequeninos!
    O nosso mundo seria melhor se conservássemos a pureza no coração, como uma criança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendo tanto, todos os dias......!!!!!! E eles ensinam tanto sem sequer percebermos......

      Excluir
  16. O tratamento que se dá ao que se tem em mãos, nos diz tanto, não é mesmo?

    Achei tão delicado sua poesia de ver. Vi e adorei.

    abraços...boas inspirações pra ti, sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mil obrigados, escritora Rosa...!!!!
      Teu desejo de inspirações, é recíproco!!!!!
      Adoro teus contos...!!!!!!

      Excluir
  17. O carinho sincero de uma criança adoça a vida...tão bom desfrutar de um sentimento desse, faz um bem enorme para ambos!!!

    ResponderExcluir