quarta-feira, 31 de agosto de 2016

poesia de ver - "... desabafo!"

Poesia de ver:

Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 06.04.2016.
Comentários na postagem original:  13.
Visualizações até ser retirado:  230.



Pensei em te despetalar… por desabafo… 
… por raiva… 
… para forçar-te a dizer que meu amor bem me quer…

… mas do jeito que me olhas, florzinha…
passei a te amar.



Imagem e texto por Luís Augusto Menna Barreto





20 comentários:

  1. Que bom que a delicadeza da florzinha transformou o sentimento de ira e desespero. Linda imagem em parceria com belas palavras. Bom dia poeta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma das flores da casa da mãe em Santo Antônio da Patrulha, no Rio Grande do Sul...!!!!

      Excluir
    2. Você,como eu, é admirador das rosas da mãe. A tua mãe gosta de plantar, como a minha gostava... que saudade poeta.

      Excluir
    3. E acho que elas nascem assim, tão lindas, pelo carinho que ela sempre coloca em cada uma...!

      Excluir
  2. A singeleza da rosa nos faz dizer tanta delicadeza!!!

    Mas assim como sempre é possível amar, sempre também é possível deixar de amar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que deixar de amar é escolha... ou falta de escolha?

      Excluir
    2. Mas amar também não é escolha não.
      Agora, deixar de amar pode ser por várias razões: por decepção, por desencanto, porque surgiu um novo amor, deixar simplesmente porque o amor acabou e, também, por uma decisão firme de deixar de amar.

      Excluir
  3. É que o amor, ou a paixão, ou os dois, nem sei se são a mesma coisa... Só sei que são tinhosos...

    Nunca vi algo tão bandeiroso, como uma pessoa apaixonada. Ela pensa que o sentimento está escondido! Ô coitado desse pobre! Quanto engano! A paixão está bem ali, se revelando para todos verem! E o expondo para quem devia e para quem não podia saber.

    A paixão em si é praticamente uma bandeira hateada a todo mastro.

    Que é bom sentí-la, é. Verdade seja dita! Porém infeliz daquele que pensa poder esconder uma paixão! Por isso, o melhor mesmo é escancará-la.

    Será que esse sentimento é amor?! Sei lá!

    ResponderExcluir
  4. É que, pensando bem, poeta, a gente não ama alguém, e sim o seu cheiro e a maneira como o outro olha pra gente. Tudo o que a sua rosa tem e faz - o cheiro e o jeito como te olhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai ai... que amor bom assim, de cheiros e olhares...!

      Excluir
  5. A Natureza é mesmo um espetáculo!!! Que rosa perfeita!!! Lindíssima!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Do roseiral da mãe, que fica junto da parede da casa, em Santo Antônio da Patrulha, no Rio Grande do Sul!!!

      Excluir
  6. Tem tanto Amor expressando nesta imagem, que a raiva transformou-se....
    E o que era revolta, passou a compaixão....
    ... E escancarou...
    Muito lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "... e escancarou..."!!!
      Desde sempre!

      Excluir
    2. Silvina, vamos a Fortaleza!!!
      Vamos!!!!!

      Excluir
  7. Escancarou?
    Será???

    Fiquem aí com "desde sempre" e "para sempre"...
    Não tem nada de "sempre", Poeta. Tem não, Silvina. Tudo é FINITO. Começa e termina. É por isso que o agora é importante. O que é agora tem de ser agora. Prestem atenção!!!!!

    ResponderExcluir