quinta-feira, 15 de setembro de 2016

pensamentos perdidos - AS FLORES - parte 10 de 15

Pensamentos Perdidos - AS FLORES - parte 10 de 15

Pensamentos de Carolina
Como homem. Ele correu como homem pra ficar ao meu lado. Não olhou mais pra trás. Na última vez, virou-se decidido e correu mais que o vento para alcançar-me.
Está ao meu lado, agora. Não sente mais medo de olhar pra mim. Algumas folhas continuam a passar por nós e indo ao longe. Ao lado do caminho, alguns ramos inclinam-se suavemente para acompanhar o vento.
Ele vê meus cabelos sendo empurrados pelo vento. Ainda há dúvida em seus olhos de menino. Não sabe se deve. Eu deixo meus cabelos ao sabor do vento. Espero por suas atitudes. Quero que se liberte.
Hesitante, ele levanta sua mão. Delicadamente, tira os cabelos de meu rosto. Depois, toca em meu ombro. Eu sinto sua mão. Fico excitada. Olho pra ele. Ele faz seu olhar fugir de mim mais uma vez. Mas não tira a mão do meu ombro.
Eu vejo a dúvida. Torço para que ele consiga libertar-se. Não se virou mais. Eu paro. Ele também. Eu vejo. Não é mais menino. É homem. Vento. Há vento.
Por Luís Augusto Menna Barreto













118 comentários:

  1. Vento...Há vento...enfim Henrique é homem feito e o amor deles acontece...

    ResponderExcluir
  2. Finalmente, Henrique se mostrando mais firme, mais seguro...aos poucos está se libertando dos seus medos!!! E deixando o amor acontecer!!! Também, já não é mais um menino, é um homem feito.
    Lindo esse capítulo!!!

    ResponderExcluir
  3. Ah! As incertezas deixadas pelo amor... A insegurança do ser ou não ser...
    Ah, o amor!!!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Carolina deixou á ele a decisão do que ela desejava muito, mas o medo da rejeição ou da invasão dos sentimentos de Henrique, fez com que ela não tomasse uma atitude!Eu chamaria isso de bom senso, se é que o amor o tem.

    ResponderExcluir
  5. Carolina provoca um vendaval de emoções na brisa mansa do moço. Suspeito que ele ainda vai fazer grandes descobertas sobre si mesmo, com ela.

    Não conheço Carolina, mas já admiro essa mocinha um bocado. =))

    ResponderExcluir
  6. Ainda que eu falasse a língua dos homens
    E falasse a língua dos anjos,
    Sem amor eu nada seria.

    É só o amor, é só o amor
    Que conhece o que é verdade
    O amor é bom, não quer o mal
    Não sente inveja ou se envaidece.

    Amor é fogo que arde sem se ver
    É ferida que dói e não se sente
    É um contentamento descontente
    É dor que desatina sem doer.

    É um não querer mais que bem querer
    É solitário andar por entre a gente
    É um não contentar-se de contente
    É cuidar que se ganha em se perder.


    (Monte Castelo - Legião Urbana)

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Há vento...
    E eles fazem um turbilhão em Henrique. E a Carol ajuda-o a libertar-se do menino, transformando-o em homem...
    Há amor....

    ResponderExcluir
  9. O Méri sumiu, minha gente?!
    Muito trabalho, com certeza.

    ResponderExcluir
  10. O Méri sumiu, minha gente?!
    Muito trabalho, com certeza.

    ResponderExcluir
  11. O Méri sumiu, minha gente?!
    Muito trabalho, com certeza.

    ResponderExcluir
  12. Pois é o poeta sumiu, tadinho deve estar exaurido tamanha a quantidade de trabalho. Faz uma falta danada pra nós.Qdo folgar ele volta cheio de novas histórias com certeza. Ah Ana, Méri é o apelido dele? Bonitinho. Dorei!!!

    ResponderExcluir
  13. O nosso amigo Menna vai voltar a escrever aqui no blog, claro! Mas nestes dias, período que antecede as eleições, duvido muito que lhe sobre tempo para tal. Então, para preencher o vácuo, que tal se de quando em vez uma de nós contasse uma história?!

    Você bem que poderia começar, amanhã, Eunice!
    Que acha?

    ResponderExcluir
  14. O nosso amigo Menna vai voltar a escrever aqui no blog, claro! Mas nestes dias, período que antecede as eleições, duvido muito que lhe sobre tempo para tal. Então, para preencher o vácuo, que tal se de quando em vez uma de nós contasse uma história?!

    Você bem que poderia começar, amanhã, Eunice!
    Que acha?

    ResponderExcluir
  15. Ah minha amiga, sou péssima pra essas coisas, me encaixo mesmo só no perfil de leitora, apreciadora dessa arte maravilhosa de vcs escritores.Mas tem muita gente talentosa nessa turma, bora aguardar eles se manifestarem. Tô aqui na expectativa pelas boas histórias que surgirão dessas mentes brilhantes.Bjs flor.

    ResponderExcluir
  16. Mas basta contar caso, Nice! É só para passar o tempo.
    Quem se habilita? Você Tel? Ou Linda? Ou Silvina? Ou Sylvia? Ou Elisa? Ou...

    ResponderExcluir
  17. Vou partilhar com vocês, algo que guardo, do meu pai, e guardo com muito carinho, até porque ele já não está mais entre nós. Mas, também porque, ficou pra mim como um exemplo lindo e um ensinamento muito grande.
    Aconteceu assim: um belo dia ele foi ao Banco, retirar algum dinheiro, e na saída, assim que pisou na calçada encontrou um bolo de dinheiro caído ali. Ele o pegou, olhou para um lado e para o outro, não viu ninguém com cara de quem havia perdido algo, então resolveu aguardar um pouco, disfarçada mente por ali, até, quem sabe o dono aparecesse. Ele ficou com muita dó de quem perdeu. O valor era 380,00 (trezentos e oitenta reais) não era muito, mas qualquer tanto perdido faz falta. E ele permaneceu por algum tempo ali (não sei dizer quanto exatamente), até que apareceu uma senhora acompanhada do seu marido, toda nervosa, gesticulando muito, sempre passando as mãos na cabeça, demonstrando muita angústia e olhando sempre para o chão como quem realmente procura algo. Meu pai ficou logo atento com aquela cena, e quanto mais eles se aproximavam mais ele ia tendo a certeza que eram os donos daquele dinheiro. Quando finalmente chegaram próximos a ele, então meu pai perguntou o quê que estava acontecendo. E a mulher mais que depressa, quase chorando já foi logo contando que havia retirado 380,00 de sua conta e perdido em seguida, e não sabia o que fazer pois precisava muito desse dinheiro!!!! Meu pai enfiou a mão no bolso e disse pra mulher: a senhora fica calma, pois o seu dinheiro está aqui são e salvo. E contou-lhes toda história do achado. Meu pai dizia, que a mulher não sabia se ria se chorava ou se o agradecia, ela não acreditava que alguém tviesse a ombridade de achar e ainda esperar o dono aparecer pra devolver.
    Quando meu pai chegou em casa e contou isto, eu chorei de emoção e de muito orgulho, pois este homem era o meu "PAI".

    ResponderExcluir
  18. Que lindo, Armelinda!!!!!
    Parabéns pelo exemplo de pai.
    Obrigada por compartilhar conosco, nos mostrando que um Brad melhor é possível!!!! Fazer o bem, sempre, sem olhar a quem!
    😘😘😘😘

    ResponderExcluir
  19. Muito obrigada, Sílvina!!!!
    O Nelsinho Correia da Canção Nova, diz que só se tem saudades do que é bom, deve ser por isso que tenho tanta saudade do meu pai!!!
    😙😙😙

    ResponderExcluir
  20. Linda, quanto orgulho tu deves ter do pai que tiveste! E o quanto é importante tu contares esse fato para outras pessoas!

    Nós todas e todos que lemos o que escreveste ficamos agradecidos a Deus, por saber que existem pessoas como foi o teu pai.

    Que bom!

    Conta um caso para nós, Silvina!

    ResponderExcluir
  21. Linda, quanto orgulho tu deves ter do pai que tiveste! E o quanto é importante tu contares esse fato para outras pessoas!

    Nós todas e todos que lemos o que escreveste ficamos agradecidos a Deus, por saber que existem pessoas como foi o teu pai.

    Que bom!

    Conta um caso para nós, Silvina!

    ResponderExcluir
  22. Linda, quanto orgulho tu deves ter do pai que tiveste! E o quanto é importante tu contares esse fato para outras pessoas!

    Nós todas e todos que lemos o que escreveste ficamos agradecidos a Deus, por saber que existem pessoas como foi o teu pai.

    Que bom!

    Conta um caso para nós, Silvina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah...Ana!!! Tenho mesmo...muito orgulho dele!!!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  23. Vou contar um caso daqueles que sempre ouvi minha mãe contar.

    Dizem que um doutor, desses muito DOUTOR, foi visitar uma cidadezinha, a fim de ver se conseguiria alguns votos das pessoas de lá, caso se candidatasse a deputado.

    A dona da pensão em que o doutor se hospedara, indicou o professor do lugar para mostrar-lhe tudo o que havia na cidade. Durante o trajeto, o doutor, muito agradecido, reverenciava todas as informações que recebia.

    _ Aqui é o coreto onde a filarmônica toca aos domingos.

    _ Ó que beleza de coreto! _ exclamava o doutor.

    _ Este é o prédio em que eu dou aula!

    _ Mas que prédio lindo! _ tornava a dizer o visitante.

    E assim continuou o doutor com tudo o que lhe era mostrado.

    Aí, ao passar em frente àigreja do lugar, ouviram uma mulher cantando muito alto e com a voz esganiçada. O doutor, então, de súbito e fora de seu hábito, exclamou:

    _ Que voz desgraçada!

    Ao que o professor respondeu :

    _ É de minha mãe.

    Ao que o doutor prontamente disse:

    _ Desgraçada de BOA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como diz o Poeta Menna: "Héin"...Quase que o remendo não serviu!!! A danada da língua é realmente um perigo.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  24. Mas basta contar caso, Nice! É só para passar o tempo.
    Quem se habilita? Você Tel? Ou Linda? Ou Silvina? Ou Sylvia? Ou Elisa? Ou...

    ResponderExcluir
  25. Tô encantada com o exemplo de homem de bem que foi o pai da Linda, com o caso do doutor que queria ser deputado,com esse desfecho engraçado, quase IRREMENDÁVEL kkkkkkk.

    ResponderExcluir
  26. Esse caso do dinheiro perdido me lembrou um episódio que aconteceu comigo bem parecido, minha irmã sacou meu benefício e colocou numa sacolinha plástica e junto o cartão, colocou na bolsa,antes de sair do carro, mexendo na bolsa não viu a bendita sacolinha cair ao abrir a porta,só se deu conta do ocorrido qdo já estava voltando para ir pra casa, quase teve um troço pois era o dinheiro de pagar as contas do mês. Mais uma que a sorte sorriu.

    ResponderExcluir
  27. Misericórdia!!! Perder todo o dinheiro do mês não ia ser nada engraçado hém Nice!!!?

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Ahhhh Ana... sempre tirando de nós o que há de melhor... sua inquietude me deixa alegre... e suas histórias também... não ando muito criativa, mas prometo tentar.

    Quanto aos apelidos do Dr. Menna, prefiro MERI!! De meritíssimo... rsrsrsrs

    Como fazem falta os poetas que aqui caminharam...

    No momento, sem histórias, me retiro. Mas volto logo!!

    BJS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh Nice... não quero imaginar uma história como a sua acontecendo comigo... já perdi dinheiro e celular pra bandido (recentemente)... mas o do mês... aff. Mas que bom que hoje é história...

      Ana... Silvinha tá ótimo!!!

      bj

      Excluir
  30. MERI vem de meritíssimo então ?! legal! Gostei!!!!kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  31. É gente amiga, MÉRI é a redução carinhosa de MERITÍSSIMO.

    ResponderExcluir
  32. Moçada, LuAlves, lembram-se dele? Anda sumido, não é? Pois então, recebi esta mensagem dele agora e tive o consentimento de repassá-la para vocês, juntamente com um abraço carinhoso para cada uma:

    "Ana, segunda passada iniciei um trabalho lá na roça. Estou fazendo uma estufa para hortaliças que eu vou cuidar e construindo tb uma.estufa para minha mãe, esta para as flores dela. Semana q vem início já a semeadura. Tb executarei um projeto de aquecimento de água para banho via energia solar... Material já comprado.. é um projeto artesanal que peguei de uma faculdade. Assim estou com trabalho nós próximos quinze dias. Creio q até o dia 10 de outubro eu finalizo esse trabalho. Estarei lá na roça colado. Após essa data, qualquer dia é tranquilo..."


    ResponderExcluir
  33. Moçada, LuAlves, lembram-se dele? Anda sumido, não é? Pois então, recebi esta mensagem dele agora e tive o consentimento de repassá-la para vocês, juntamente com um abraço carinhoso para cada uma:

    "Ana, segunda passada iniciei um trabalho lá na roça. Estou fazendo uma estufa para hortaliças que eu vou cuidar e construindo tb uma.estufa para minha mãe, esta para as flores dela. Semana q vem início já a semeadura. Tb executarei um projeto de aquecimento de água para banho via energia solar... Material já comprado.. é um projeto artesanal que peguei de uma faculdade. Assim estou com trabalho nós próximos quinze dias. Creio q até o dia 10 de outubro eu finalizo esse trabalho. Estarei lá na roça colado. Após essa data, qualquer dia é tranquilo..."


    ResponderExcluir
  34. Mandou dizer mais:

    "Mande um abraço a todos. Lá na roça, vc.sabe,. não temos energia elétrica é a.conexao via celular é instável. Assim, fico quase off line..rs.. além do mais, o ofício de lavrador é bem cansativo..rs...estou dormindo com as.galinhas kkkkk. Mande um beijão em.todos."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Tenho vivido uma experiência nova. Mexer com a terra, com sementes, adubo orgânico, proporciona tipo uma humanização, algo assim. Também experimento uma certa alegria e vitalidade."

      Excluir
    2. "Tenho vivido uma experiência nova. Mexer com a terra, com sementes, adubo orgânico, proporciona tipo uma humanização, algo assim. Também experimento uma certa alegria e vitalidade."

      Excluir
  35. "Embora seja um ofício muito braçal e fisicamente pesado.

    Durante o processo rola uma energia que parece brotar da natureza...

    O cheiro da terra quando a molhamos...

    Tenho feito as regas dos canteiros de plantas de minha mãe, pela manhã e a tarde, bem como a poda das.flores. É como pentear cabelos de mulher, deixá-la mais bonita

    Durante essas atividades não consigo ter pensamentos indesejáveis. "

    ResponderExcluir
  36. Que bom que o LuAlves deu notícias!!!
    Ele está fazendo muita falta por aqui!!

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. Que legal, que Lualves deu notícias, sdd dele tbm. Bom demais o que ele está fazendo, plantar, cuidar,podar plantas,regar e se deliciar com o cheiro da terra molhada e do mato, sei que pra ele, que é poeta, TUDO serve de inspiração.Ana querida,qdo falar com ele mande abraços cheio de carinho ok? Bjs pra vc flor.

    ResponderExcluir
  39. Ah outro que sumiu tbm e não deu mais sinal de vida foi Sedrik, será o que houve? Se alguém souber passa aqui pra nós ok? Ele é o misterioso mais querido né meu povo? Bjs pra todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suspeito que Sedrick está recluso... Mas espero qu ele saiba o quanto faz falta...

      Excluir
    2. Boa noite!!! Obrigado, Nice, Sylvia. Muita coisa para ler... estou desatualizado... To chegando... Saudaçoes literárias a todos!!!

      Obrigado pela lembrança e carinho!

      Excluir
    3. Yuri voltou!!! Que maravilha!!! Seja bem vindo de volta querido amigo, devagar vc entra no ritmo de novo.Boa noite, abração carinhoso.

      Excluir
  40. Outra coisa que não posso deixar de dizer ESTOU AMANDO ESSA NOSSA COMUNICAÇÂO AQUI PELO BLOG. ADOOOORO.

    ResponderExcluir
  41. boa noite!!

    Oi Nice. Bom tu estares por aqui...

    Lualves deu notícia... que ótimo!
    Ana, mande um forte abraço meu para ele... Diga que estou sem celular no momento...mas com muita saudade!

    Quero saber se Dr.Menna é candidato... Eu voto nele!!!

    bjs turma!

    ResponderExcluir
  42. Oi Sylvia, vc é aquela que gosta de ser chamada de Letícia? Desculpe perguntar, é que falo com tanta gente que às vezes me confundo. Estou amando estar aqui com vcs. Ei, o poeta Menna é candidato? Será por isso que está sem tempo? Tbm voto nele rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, nice!!
      Sim! Sou a Silvia que também é letícia...
      E lembro que tu não vinhas aqui... mas agora vem... e eu to gostando disso. rsrsrsrsrss
      Eita! inventei uma brincadeira e acho que vou levar bronca...rsrsrsrs
      Estou fazendo bagunça?
      Boa noite!

      Excluir
    2. Oi Letícia querida, não tinha aparecido por aqui pq simplesmente não conseguia, mas qdo deu certo, pensa numa felicidade que senti rsrsrs. Qto à brincadeira, relaxa, tá tudo certo kkkkkkkkk o pobrecito poeta deve estar é cansado por demais e qdo voltar vai se divertir um bocado com essa conversação aqui, se consegui acompanhar rsrsrs tadinho. Boa noite flor, bom demais te encontrar por aqui. Bjs pra vc e pra galera toda.

      Excluir
  43. Não amigas, o Menna não é candidato, não. Ele é o juiz responsável por estas eleições dos municípios de Breves e de Bagre.

    ResponderExcluir
  44. Respostas
    1. Boa noite Linda, Ana,Letícia,Silvina e demais amigas(os). Bjs a todas(os)e um excelente domingo pra vcs.

      Excluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. Boa noite a todos!
    Ana, vou pensar em uma história para contar .
    😘😘😂

    ResponderExcluir
  47. Oi gente! O Méri falou comigo hoje e pediu-me para avisar que ele vai voltar, após as eleições.

    ResponderExcluir
  48. Vou contar algo que me aconteceu. Por que contar exatamente isso? Não sei! Lembrei-me desse fato agora.

    Eu fiz teatro durante muito tempo de minha vida. Já era adulta, quando deixei de fazer. Mesmo como professora universitária fiz alguma coisa. E aí como profissional. Foi quando tive a certeza de que teria de optar entre uma carreira e outra, e a escolhida teria de ser em regime de dedicação exclusiva. Optei, pela carreira docente, sabendo que sempre teria um amor especial pelo teatro.

    Não foi nada doído. Mesmo porque há algo de teatral no ato de dar aulas. Essa descoberta foi-me apresentada por um colega meu, Walter Pires, professor da universidade, hoje da Federal do Espírito Santo, que uma vez me disse:

    _ Você gosta tanto de dar aulas, porque a artista de teatro assume o palco, quando você entra na sala.

    E... talvez fosse isso mesmo!

    Porém o que eu ia contar era outro fato! Aí me enredei por esse comentário. Vou então deixar para contar uma outra hora.
    Perdoem-me, tá amigas e amigos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdoada. Muito bom teu compartilhar conosco...

      Excluir
  49. Ana querida, os professores são verdadeiros artistas,de outra forma, mas artistas, dignos de aplausos pelo trabalho realizado e infelizmente nada valorizado na atualidade.Parabéns pela sua opção que tenho certeza é regida pelo amor.Bjs minha linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma honra poder conhecer um pouco mais da tua história, Ana!!! Depois, você nos conta a outra parte. 😙😙

      Excluir
    2. É uma honra poder conhecer um pouco mais da tua história, Ana!!! Depois, você nos conta a outra parte. 😙😙

      Excluir
  50. Olá, pessoal! Hoje não tive condição de vir até aqui, mas amanhã, prometo contar o que eu havia começado, tá?

    Que trapalhada essa minha, hein?!!!!!

    ResponderExcluir
  51. Tudo bem, Ana...
    Beijos!!
    Boa noite!

    Até, meninas!

    ResponderExcluir
  52. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  53. Saudações, Menna Barreto!!!! Saudações a todos!!!

    Bem...vejo que há muita coisa para ser lida... preciso de um certo tempo!!! rs

    Por enquanto, deixo aqui meu abraço, meu agradecimento, meus respeitos e saudades de todos vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sedrick!!!
      Que bom te ver aqui! Abraço amigo do peito! Fico, de fato, feliz em te ver. Nossos estranhamentos foram coisas do passado, não é isso?

      Excluir
    2. Ele voltou!!!!

      Sedrick!

      Vamos ter novidade no blog Noite Nua?

      Excluir
  54. Agora vou contar o que eu comecei antes de ontem, ok?!
    A minha estreia no teatro se deu, quando eu tinha oito anos. O nome da peça era “Angústia de um Coração Materno”. Era um drama. Dois irmãos, um menino e uma menina, que foram roubados por uma cigana, para lhe servirem de crianças pedintes. Com o sumiço dos garotos, a mãe enlouqueceu. Enfim, um drama daqueles em que as pessoas choravam muito ao assistir. Os dois eram postos para dormir amarradinhos um no outro. Aí o menino ensinava à menina uma canção, para ela se lembrar da mãe. (Lembro-me dessa canção de uma única estrofe, até hoje.) Era de fato um DRAMA!

    Numa certa noite, um determinado senhor da cidade foi assistir ao espetáculo e, parece, que tenha ficado encantado com o desempenho da atriz-menina.

    Este senhor era um homem já velho e muito rico. Porém, o que o caracterizava era a fama de ser muito seguro.

    Certo dia, logo após à noite em que fora ao teatro, este senhor mandou-me chamar em sua casa. Imediatamente, convenci a moça que trabalhava conosco a me levar até lá. Meus pais estavam no trabalho.

    Lá chegando, ele me deu um abraço e disse que queria me dar um presente. Entregou-me uma caixinha e pediu que eu a abrisse. Abri. Dentro da caixa havia uma caneta-tinteiro DE OURO, com o bocal de metal preto.

    Eu saí dali mais que encantada. A vontade que tinha era a de mostrar para todo mundo a minha caneta de ouro e também de contar que quem havia me dado tinha sido aquele determinado senhor.

    E foi o que fiz. Engambelei a pobre da moça que trabalhava lá em casa; convenci-a de que ela deveria me deixar ir à casa de minha tia; e subi a ladeira.

    Entretanto, a primeira providência que tomei foi a de tirar a caneta da caixa. Caixa! Para que caixa?! Eu queria mesmo era mostrar a minha caneta de ouro.

    E fui fazer isso. Só que, naquela época, eu quase não andava. Só corria. Corri até a casa da minha tia, mostrei a caneta e causei o maior “frissom” ao contar quem me deu.

    Imediatamente, retornei a minha casa. Agora em um ritmo mais acelerado da corrida, uma vez que era correr ladeira a baixo.

    Quando entrei em casa, que fui guardar a caneta, só estava com o bocal de metal preto na mão.

    Até hoje, eu procuro minha caneta de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh que pena!!! Artes de Ana menina... isso?
      Sinto muito. Mas a alegria de ter ganhado a caneta, valeu!!
      Joga "naquela rede social famosa"... quem sabe...

      Excluir
  55. AhhH... néééémmmm...Ana!!!! Que chato!!! Fiquei triste por você!!!


    Mas, como diz o Chico Pinheiro da Globo: "...é vida que segue." Já está superado. Grande abraço, amiga.

    Ainda bem que essa agonia de eleição está pra acabar, pra o nosso Poeta voltar. Está fazendo muita falta.

    ResponderExcluir
  56. Linda, vamos pedir a Deus por ele, viu?

    ResponderExcluir
  57. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  58. Boa noite povo do meu bem querer. Ana querida, lamento vc ter perdido sua caneta tão bonita, tristeza superada né? Mas essa experiência no teatro foi linda, gostei da sua história. Abraço carinhoso a todos.

    ResponderExcluir
  59. Sabem, minha caneta de ouro, de fato, nunca achei. Mas talvez ela tenha sido substituida pelo lápis, com o qual escrevi o MALVA.

    O "MALVA - um meio sorriso e um certo olhar" eu o escrevi todo a mão e a lápis. Era assim, eu escrevia um pouco e depois digitava, mais um pouco e tornava a digitar.

    Naquela época, eu achava que não sabia criar texto literário no computador. Texto técnico-científico eu criava no computador, porém, texto literário, não.

    Daí é que o Malva foi escrito em um caderno, a mão e a lápis. Por isso, resolvi demonstrar isso nessa segunda edição que sairá, mais ou menos, daqui a um mês: de um cápitulo para o outro, haverá uma divisão feita por uma foto da primeira página de cada capítulo escrita manualmente.

    Mas desse mal, há muito me curei. O lápis "substituiu" a caneta de ouro, e ele foi substituído pelo computador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo, Ana!!!
      Quero comprar seus livros. Eu vi você e o LuAlves falando no seu Periscope (que por sinal amei) como a gente faz pra adquirir, mas você poderia colocar por escrito aqui ou na sua página.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  60. Ah! O Menna pediu-me para avisar-lhes que, segunda feira, com fé em Deus, ele volta ao blog.

    Olhem, ninguém mais do que ele está sentindo tanta falta deste nosso convívio aqui. Tenham certeza disso.

    ResponderExcluir
  61. Ana, levei o maior susto quando vi a reportagem do assalto no navio indo para Breves, de madrugada, me parece que foi num domingo, não me lembro direito. Me lembrei que o Poeta vive fazendo essa viagem. Não imaginava que oferece tanto risco assim.

    ResponderExcluir
  62. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  63. Que notícia boa!!!
    Segunda-feira o Poeta já estará de volta!!!? Muito bom!!!

    ResponderExcluir
  64. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  65. Bom dia, moçada!Daqui a pouco começo a minha viagem. Vou à Vitória da Conquista, votar. Às 10 horas pego uma lancha, daqui de Barra Grande para Camamu. Com 30 minutos chego lá. Às 11h e 10min tomo um ônibus para Jequié. Chego lá no meio da tarde e encontro com minha filha Maria Maria. Aí, então, pegamos o ônibus semileito que nos levará ao nosso destino. Lá pelas 7 e meia da noite, estaremos em casa.

    Viação, não é?!

    Mas vou. Segunda feira, retorno.

    E tudo indica que vai haver segundo turno. Aí... faço tudo de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa viagem! Bom retorno! É isso mesmo...
      Exercício de cidadania...

      Excluir
  66. Ai, que boa notícia!
    Sinto muita falta de tudo que o Menna escreve.
    Estamos mais pobres de sentimentos...

    ResponderExcluir
  67. Ai, que boa notícia!
    Sinto muita falta de tudo que o Menna escreve.
    Estamos mais pobres de sentimentos...

    ResponderExcluir
  68. Boa noite meu povo querido!!! Que viajem essa sua Ana, ainda bem que é numa paisagem magnífica, dá nem cansaço né? Abraço carinhoso pra todos.

    ResponderExcluir
  69. Boa noite, amigos e amigas!
    Cheguei ontem a noite morta de cansaço.
    Vim votar, mas na segunda feira cedo, começo o meu retorno para meu mar. Isso, porque vou parar no meio do caminho. Só chegarei em Barra Grande na terça feira.

    ResponderExcluir
  70. Oi, pessoal, bom dia!
    Vou começar minha viagem de volta à Barra Grande.
    Bem, nosso escritor falou que voltaria hoje. Vamos aguardar, né?
    Um beijo para todo mundo!

    ResponderExcluir
  71. Oi, pessoal, bom dia!
    Vou começar minha viagem de volta à Barra Grande.
    Bem, nosso escritor falou que voltaria hoje. Vamos aguardar, né?
    Um beijo para todo mundo!

    ResponderExcluir
  72. Bom dia!
    Ana e Menna, boa viagem e bom retorno!
    Bom dia, garotas!!!

    ResponderExcluir
  73. Booom diiiaa meus queridos amigos!!!! Boa semana pra todos. Graças a Deus a turbulência da política passou, com a alegria dos vitoriosos e tristeza dos perdedores, pois a luta foi dura, mas, vida que segue né? E tudo volta ao ritmo normal, aguardando a volta do poeta Menna. Bjos carinhosos pra todos vocês amigos!

    ResponderExcluir
  74. Booom diiiaa meus queridos amigos!!!! Boa semana pra todos. Graças a Deus a turbulência da política passou, com a alegria dos vitoriosos e tristeza dos perdedores, pois a luta foi dura, mas, vida que segue né? E tudo volta ao ritmo normal, aguardando a volta do poeta Menna. Bjos carinhosos pra todos vocês amigos!

    ResponderExcluir
  75. Oi, minhas amigas e meus amigos, surgiram, emergencialmente, alguns trabalhos relativos ao processo eleitoral que impossibilitaram, até agora, de o Méri retornar ao blog, OK?!

    Mas tenhamos paciência que, com certeza, assim que lhe for possível, ele retornará.

    Beijão bem grande em todo mundo!

    ResponderExcluir
  76. Amigas, peço desculpas a todas vocês!

    Quando lhes garanti da volta do escritor, foi porque assim ele me pediu que fizesse. Depois, não sei o que houve, ele deixou também de se comunicar comigo.

    Peço-lhes que me perdoem, porque de forma alguma quis lhes enganar.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  77. Amigas, peço desculpas a todas vocês!

    Quando lhes garanti da volta do escritor, foi porque assim ele me pediu que fizesse. Depois, não sei o que houve, ele deixou também de se comunicar comigo.

    Peço-lhes que me perdoem, porque de forma alguma quis lhes enganar.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  78. Não se preocupe querida Ana, contratempos acontecem, muitas vezes fazemos um plano e Deus faz outro. Qto ao poeta, qualquer hora da um sinal de vida rsrsrsrs. Ele deve estar descansando do ritmo intenso de trabalho pelo qual passou. Que volte revigorado e com histórias divertidas pra nós. Deus cuide dele, de vc, de todos nós. Abraço carinhoso a todos do blog. 😙😙😙😙😙

    ResponderExcluir
  79. Não se preocupe querida Ana, contratempos acontecem, muitas vezes fazemos um plano e Deus faz outro. Qto ao poeta, qualquer hora da um sinal de vida rsrsrsrs. Ele deve estar descansando do ritmo intenso de trabalho pelo qual passou. Que volte revigorado e com histórias divertidas pra nós. Deus cuide dele, de vc, de todos nós. Abraço carinhoso a todos do blog. 😙😙😙😙😙

    ResponderExcluir
  80. Boa noite, garotas!
    não se preocupe Ana... Já aconteceu comigo também... rsrsrsrs
    Menna deve estar ainda ocupado... Tem segundo turno por aqui...
    Além do mais é natal paraense... Tem que acompanhar as homenagens pra Nazinha... Logo ele deve estar de volta.
    Continuaremos torcendo que ele volte a nos presentear com suas palavras.

    Um abraço!
    OBS:
    Saudades de tu, escritora... retomei a leitura de Heloisa...

    ResponderExcluir
  81. Ah! Que legal, Sylvia! Quero um comentário depois.
    A segunda edição do MALVA sairá no início do próximo mês.

    ResponderExcluir
  82. Ah! Que legal, Sylvia! Quero um comentário depois.
    A segunda edição do MALVA sairá no início do próximo mês.

    ResponderExcluir
  83. Sim!!
    Logo...
    Ansiosa por MALVA, bjs.

    ResponderExcluir
  84. "... Não é mais menino. É homem. Vento. Há vento." Quisera que esse vento passasse por aqui...

    ResponderExcluir