segunda-feira, 24 de outubro de 2016

diálogos - "...abandonos!"

Diálogos: “… abandonos!"

Mas tu disseste que não desistirias de mim.

“Disse que não desistiria facilmente… mas não posso insistir pra sempre.”

Eu voltei”, ele dizia com alguma súplica nos olhos. “Insistes mais um pouco.

“Se tu soubesses como dói esperar…”

Às vezes, dói mais não poder voltar quando se quer… porque além da saudade, fica a culpa de fazer-te chorar…

Por Luís Augusto Menna Barreto




19 comentários:

  1. Amigo, toda ausência provoca sofrimento, seja pela falta ou pela angústia da perda. Pior é a incerteza de voltar com a dúvida se vai dar certo. Também difícil é saber porque terminou e se esperar não é ficar nas nuvens, esperando terra firme a mercê dos ventos (pensamentos). Parabéns um pequeno texto como fonte de inspiração para devaneios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, amigão!!
      A ideia é essa mesmo: permitirmo-nos devaneios...!!!!

      Excluir
  2. É um eterno repensar, nossos fazeres e escolhas...
    As ausências fazem isso!!!
    Mas que estas linhas sirvam de reflexão...

    ResponderExcluir
  3. Ah!!! Que conversa difícil!!! A iminência de perda, que sempre é muito dolorosa e a tentativa de evitá-la quemuitas vezes é em vão.
    Relacionamentos...nem sempre são fáceis !!
    Para alguns oferecem essas agruras!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria que para todos...! Quem de nós viveu apenas relacionamentos perfeitos....??!!

      Excluir
  4. Como a ausência DÓI...
    E às vezes DOI mais a ausência de quem se faz " presente"...
    (Fiz-me entender???)

    ResponderExcluir
  5. Realmente Michele, a ausência de quem está presente chega até a ser revoltante. A pessoa está, mas não dá um pingo de atenção. Você tenta começar um diálogo mas não passa de um monólogo. Seria melhor conversar com as pedras e paredes, talvez tivesse mais interação. E por aí vai...

    ResponderExcluir
  6. O mais interessante são os textos que subjazem àquilo que escrevemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mais interessante, é, de fato, escritora, enquanto leitores, realmente retirarmos do texto o que vemos com a percepção diversa do que quem escreve...!!

      Excluir
  7. Tão breve... mas tão profundo...

    ResponderExcluir
  8. Detesto esta palavra "Abandono" para ser sincera ,eu penso as vezes que não pertenço a esta esfera...a este planeta que até parece frio em sentimentos, porque eu não consigo abandonar e deixar ao léu pessoas que passam pela minha vida e são importantes para mim. Isso gera muito sofrimento. Amar as pessoas incondicionalmente exige renuncias doloridas demais, porque não podemos cobrar de quem queremos bem, que ele tenha o mesmo sentimento, pois amamos como eu disse sem condições! Magnífico dia Juiz e poeta Menna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quando a vida força-nos ao abandono....?
      Mil obrigados, amiga...!!!!!

      Excluir
  9. Own. . . Abandono, adeus, despedida. . . Terrível querer e não poder. Oh...

    ResponderExcluir