domingo, 16 de outubro de 2016

pensamentos perdidos - AS FLORES - parte 11 de 15

Pensamentos Perdidos - AS FLORES - parte 11 de 15

Pensamentos de Raquel
Minha pele arrepia-se quando ele faz sua mão deslizar pelo meu corpo até meus seios. Eu olho pra ele e seu olhar não foge de mim.
Sinto, entre meus dedos, seus cabelos macios. Ele demora… mas não o apresso. Seu instinto está-se libertando. Ele me faz deitar. Sinto seu corpo. Seu peso. Homem. Eu o sinto homem.
As folhas continuam a passar por nós. Ele conseguiu libertar-se. Sinto sua força dentro de mim. Minhas mãos arranham suas costas. Ele me tem. Ele me possui.
Eu fechos olhos e grito. Um grito demorado. Gostoso. Ouço ele gritar também. Um grito de liberdade. Ele me beija. Eu olho sorrindo pros seus olhos que, agora, é a única coisa que tem de menino. E ele adormece. Sua cabeça descansa em meu peito. Eu o coloco ao meu lado. Olho para um homem diferente do menino que saiu assustado de trás daquela árvore com tronco grosso. 
O sol é apenas um círculo vermelho no horizonte, insinuando-se por entre as nuvens. O vento parou e há muitas folhas espalhadas no chão. Eu falo com ele… e o abandono.
Por Luís Augusto Menna Barreto
















16 comentários:

  1. Boa tarde Poeta, consegui viver a cena! Tão lindo isso, duas pessoas num só sentimento e uma grande explosão de liberdade, de amor, de desejo e de vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudade de ti, amiga!!!
      Muito obrigado...!!!!!!!!!!!

      Excluir
  2. Grande gozo, orgasmo de poesia.
    Parabéns, ESCRITOR!Cena perfeita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesta, confesso que não estava muito à vontade pra escrever... e eu a escreve há mais de vinte anos!

      Excluir
    2. Ah, escritor, tu tens cada uma!!!!
      Lembrei-me de uma conversa que tive certa vez com uma pessoa!!! KKKKKKKK!

      Norinha, cadê você?????

      Excluir
  3. Quanto amor guardado e aguardado e que foi totalmente liberado tão intensamente!!!
    Poeta, conseguiste passar toda emoção da cena através das palavras. Quando terminei de ler percebi que não estava respirando. Henrique...Henrique...me surpreendente!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Armelinda... eu quase não respirei pra escrever..!
      Quanto a Henrique... Ele ME surpreendeu!!!

      Excluir
  4. Amigo poeta, que lindo!
    Quanto sentimento ...., quanto amor....!!
    Tudo tão sincero, o Henrique é surpreendente!

    ResponderExcluir
  5. Eu comentei esse post e agora que percebi que não carregou!!!!!
    Vou reenviar hoje!
    Eu amei, lindo, enfim eles se tornaram um só através do ato de amor,se completaram, mas fiquei triste no final quando ela o abandona, por que??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não entendi direito esse por quê, nem quem é ela..
      ... talvez venham as respostas...
      Amanhã (domingo, dia 23 de outubro) publico mais um capítulo!

      Excluir
  6. Quanto prazer descrito... Esse momento mágico é mais fácil sentir que descrever é claro. Mas, meu poeta favorito, consegues fazer isso de forma brilhante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... e é tão sem jeito que me sinto para essas narrações... mas a estória passava por esse momento... e tentei descreve-lo com a maior delicadeza possível...!

      Excluir
  7. És brilhante! Parabéns
    👏👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guria... nem sei o que dizer...
      ... acho que tens gentileza tamanha, e generosidade em tua avaliação... mil obrigados...!!

      Excluir