sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Goela, Afrodite e o Exame - parte 2

Goela, Afrodite e o Exame - parte 2

(Esses são os acontecimentos que antecederam os fatos que iniciaram a "PARTE 1"  - para ver a parte 1, CLIQUE AQUI - que foi publicado no dia 22 de outubro de 2016.


“Doutor, chegou um aviso que amanhã ou depois vai chegar o barco da marinha pra ação social, com médicos exames e outros serviços. Estão perguntando se o senhor quer participar atendendo lá também!” 
Era o Goela, falando de longe, mas se fazendo ouvir no fórum inteiro.
“Ah, Doutor, e a mãe do Descanso tá aí de novo. Quer saber se o senhor já despachou o processo dele!”
O Descanso tava preso pela quarta ou quinta vez. Furto, de novo. Recebeu o apelido depois do segundo flagrante, quando foi preso porque parou pra descansar. Pois o leso só queria saber de furtar freezer, balcões refrigerados, geladeiras…. Isso mesmo: geladeiras!
O Descanso inventa de furtar geladeira e tenta levar nas costas. Ele é um sujeito forte. Até dá conta de levar geladeiras pequenas nas costas. Mas é sempre pego próximo ao local dos furtos. Teve vez que ele foi preso e ofereceu uma cerveja que tava dentro da geladeira furtada para os policiais… que aceitaram! Depois levaram o Descanso preso!
 Por que ele faz isso? Também fiquei curioso e perguntei em um dos interrogatórios:
“Descanso, se tu não dá conta de levar a geladeira muito longe, por que tu insistes em furtar geladeira?
"Ah, doutor, mas eu dou conta sim! O problema é que quando pego a geladeira tiro ela da energia, doutor. Daí paro logo pra aproveitar o produto de dentro ainda geladinho!”
Pois é: ele furtava não pela geladeira ou freezer em si, mas pelo que tinha dentro!
Mas desta vez, o Descanso tinha sido muito mais esperto… ou quase! Pegou a motocicleta do irmão dele, improvisou um reboque, e foi furtar um freezer do bar do Seu Nonô. Conseguiu , na madrugada, arrombar a porta sem fazer muito barulho, deu um jeito de colocar a geladeira no reboque e saiu! Parecia tudo certo… mas faltou gasolina. A moto engasgou até parar no meio da estrada por onde o Descanso havia planejado fugir e, quando a polícia chegou, encontrou o descanso gritando de dor, com a motocicleta por cima dele e o pé quebrado. Querem saber a ironia? Quando a moto parou por falta de gasolina, ele foi descer e esqueceu de… … colocar o “descanso" da moto! Sabe aquele “pezinho" ou “tripé" que faz a moto não cair? Pois é, aqui na Ilha, o pessoal chama de “descanso”.
E assim, o Descanso foi preso de novo. Não era lá nenhuma novidade. Novidade era a mãe do Descanso por lá, tão acostumada que tava, coitada, com as prisões do filho. Não ia mais nem na delegacia. Se o Descanso não aparecia em casa, ela esperava o carcereiro Fechadura passar e perguntava: 
“O Descanso tá lá, Fechadura?”
“Tá. Levaram ontem e já botei na cela. O Delegado vai falar com ele só amanhã…”
E pronto. Sabendo que o filho estava em segurança, preso, que não tinha acontecido nenhuma desgraça, ela ficava tranqüila. 
Mas dessa vez, estava ali no fórum, insistindo pra falar comigo.
Eu a receberia em seguida, mas antes, estava no meio de um processo da Justiça Eleitoral. Em épocas de eleições, é um sufoco! Os processos todos tem prazos contados em horas e a todo momento ingressa pedido para coibir propaganda eleitoral, para fazer diligência em algum lugar porque estão distribuindo cestas básicas, estão dando combustível de graça… enfim… é sempre um sufoco. Eu pedi para o Goela dizer para a mãe do Descanso esperar um pouco que eu havia recém recebido um processo com um enorme carimbo de “urgente" atravessado na capa. Tratava-se de um pedido de busca e apreensão em um processo eleitoral. Isso é sempre urgente! Em véspera de eleições, quando entra um pedido desses, é porque há alguma evidência forte de que  há algo ilegal acontecendo e é preciso agir rápido para buscar e apreender o objeto da ilegalidade.
O Barganha havia entregue o processo. E eu acho que notei uma espécie de sorriso contido e um olhar de curiosidade sobre como eu receberia o processo.
O Barganha veio entregar porque o Goela estava justamente envolvido com a mãe do Descanso que não estava dando descanso para o Goela. E tinha também, o Merece querendo emprestado o telefone do Goela, de modo que o Goela estava muito ocupado.
“Ei, Goela, empresta aí o celular”.
“Ta sem crédito”.
“Eu boto”.
"Tá com pouca bateria”.
“É rapidola”.
O Merece havia saído de casa muito transtornado na madrugada. E o maior motivo pelo que estava transtornado é que ele sabia que a culpa era dele. Todo mundo fala: “se avisou que vai viajar, viaja! Não inventa de ficar!”
Pois o Merece caiu na bobagem de se atrasar.
Todos os dias da semana, tem o barco que sai do trapiche pra ir pra Breves, também no Marajó, às 3 horas da madrugada. Chega em Breves antes das 8h. As pessoas que vão viajar, já dormem direto no barco. Na hora de dormir, por volta de 22 horas em diante, pegam suas redes e, em vez de atar em casa, ata a rede já no barco, porque daí não precisa acordar no meio da noite e levantar pra ir até o trapiche perdendo o sono. O barco fica encostado desde a tardinha e quem vai viajar já vai chegando e atando a rede.
Pois o Merece havia dito pra Querida que iria pra Breves naquela noite. Mas como tomou umas cervejas com os amigos do futebol planejando o jogo do dia seguinte, quando foi pra casa acabou deitando por lá mesmo e adormeceu. A Querida acabou indo deitar com o Merece. Mas quando chegou por volta de 1 hora da manhã, aconteceu algo que deixou o Merece curioso: 
“Merece, acorda. Acorda, Merece… tu não vais viajar? É melhor ir pro barco”. Era a Querida. Mas estranhou porque outras vezes ele havia perdido a viagem e nunca ela havia acordado ele. 
Como estava com muito sono, falou: 
“Ta cedo… daqui com uns minutos eu vou…” E adormeceu novamente. 
Perto de 2 horas da manhã, de novo a Querida:
“Merece, vais perder o barco…”
“Égua, Querida! Tá doida? Deixa eu dormir!”
Daí que quem não dormiu mais foi a Querida.
Bem quando tava dando 3 horas da madrugada, batem na porta.
A Querida nem se mexeu.
“Tão batendo”, disse o Merece.
“Acho que não.”
“Tão sim.”
“Então vai ver quem é, Merece.”
“Vô nada. Pra mim não é, eu ia viajar!”
E a Querida levantou assustada e abriu devagarinho. O Merece escutou uns cochichos, até que a Querida falou:
“É o Carretilha, Merece. Quer ver se tu podes ficar na banca de peixe pra ele que ele vai sair agora pra ver os matapi*”
É claro que não terminou bem! E a culpa era do Merece, que falou que ia viajar e não foi! 
Daí que quase brigou com o Carretilha ali mesmo, pegou só a roupa que vestiu e saiu de casa, deixando até o telefone.
Pediu o telefone do Goela, porque queria mandar a mensagem pra Querida, pra dizer que ela deixasse as coisas dele na casa da Milagres, mãe dele, inclusive a chuteira que usaria no jogo da tarde.
Enviou a mensagem e devolveu o telefone.
“Doutor, a mãe do Descanso foi embora mas pediu pra ligar quando o senhor puder atender.”
“Daqui há pouco, Goela”. 
Eu não estava acreditando: o pedido de busca e apreensão, era pra apreender os postes de luz! Isso mesmo: uma coligação queria apreender os POSTES DE LUZ que estavam colocando num bairro afastado.
Um dos candidatos inscreveu-se com apelido, como é comum em inscrições eleitorais. Ainda mais no Marajó, se o candidato não colocar o apelido, não ganha voto! Pois um dos candidatos era o “Lamparina" e, então, a coligação adversária queria convencer que os postes de luz estariam fazendo propaganda para o Lamparina! 
Quando eu vi o que era, na mesma hora tive a certeza de que o caso do Descanso seria mais importante!
“Goela, podes ligar para a mãe do Descanso! Já posso atende-la.”
“Doutor, acabou a bateria do meu celular. Vou rapidola bem ali chamar”.
Dez minutos depois, a mãe do Descanso entrou e eu fui logo falando:
“Dona Pacífica, houve algum problema? O flagrante tá certinho, o Descanso nem apanhou nem nada, já foi atendido o pé quebrado na unidade de saúde, e agora tem que esperar o Promotor ver se vai denunciar. A senhora bem sabe que o Descanso vive aprontando.”
“Mas doutor, eu só queria levar pra casa…”
“Isso não dá, dona Pacífica!”, fui logo interrompendo!  "Não tem nem um mês que o Descanso foi solto da última vez. Levar pra casa não dá!”
“Mas doutor…”
“Não dá. Isso não dá!”
“… a moto, doutor.”
“Hein?”
“Eu só queria a moto, doutor. O Descanso tá bem na prisão, doutor”.
Pois é! Ela não tava preocupada com o Descanso. Ela queria era a moto do outro filho, que foi apreendida com o Descanso!”
Naquele dia, o Goela chegou em casa, deixou o celular carregando e foi para o campo, porque tinha o jogo do campeonato da cidade, que o Merece também ia jogar… … e que no fim acabou arrumando briga, porque o time adversário começou a provocar ele dizendo que era leso, perguntando se ia viajar de novo, se ia deixar a Querida sozinha…
Mas o Goela esqueceu o celular sem senha, quando colocou pra carregar em casa.
E quando a Afrodite chegou, o celular tava carregado e entrou a mensagem que a Querida respondeu para o Merece, pelo número do Goela:
“Desculpa. não fico mais com ele. Agora só vou ficar com você. Vem pegar tua morena de novo.”

Por Luís Augusto Menna Barreto

* Matapi é uma armadilha para pegar camarão, muito utilizada na região do Marajó.




34 comentários:

  1. Ah, não!!! De novo, o Goela vai apanhar!!!?? Kkkkk A Afrodite não vai ser boazinha não, com certeza.
    Coitado!! Apanhar sem merecer, ninguém merece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses foram os acontecimentos que antecederam à crônica passada!!! Foi por isso que a Afrodite jogou o telefone na cabeça do Goela!! E foi por causa da Querida que o Merece foi preso e a Milagres foi atras dele na parte 1!! Tô contando de trás pra frente!!!!!!
      Se tiveres tempo, relê a primeira parte e vais ver como tudo se encaixa!!!!!!

      Excluir
    2. Acho muito interessante os apelidos!!! A maioria tem, e são engraçados.

      Excluir
    3. Cedo ou tarde, todos são "batizados" com apelidos... até eu, ganhei o meu!!!!

      Excluir
    4. É verdade... já vi que o teu é, Lico, por conta do Luís né!!!?
      Eu também ganhei um da Ana!!! Muito legal. E colou...as meninas do blog me chamam de...Linda!!! Amei!!!

      Excluir
    5. LICO? Legal esse seu apelido poeta.

      Excluir
    6. Não!!! Rsrsrsrs Esse é o de casa!!!
      O que "ganhei" foi outro!!!

      Excluir
  2. Vish mas este Goela só se dá mal,kkkkkk oh meu pai, um dia ainda vou conhecer o Arquipélago de Marajó! Bom dia !!!

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Nem fale!!!! Pobre Goela, que foi recebido com o telefone voando em sua direçao!!!!

      Excluir
  4. Como sempre,inevitável são as gargalhadas....esse Descanso é hilario demais,em vez de levar só o que tem dentro da geladeira,prefere levar a própria kkkkkk. E aí nesse lugar para uma mãe,o filho na prisão é sinônimo de tranquilidade,situação inusitada essa. O melhor de tudo é que as coisas por aí acontecem de forma tão natural,muito bom. Afrodite ficou furiosa com razao,em se levando em conta o teor da mensagem,eu tbm ia querer matar o marido rsrsrs. Ótima crônica,como sempre.Bom dia poeta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem fala!!!! Pobre Goela!!!!! Foi por isso que na PARTE 1 ele foi recebido com o telefone voando na sua direção!!!!

      Excluir
  5. Kkkkkk. Esse Goela não toma jeito, sempre se metendo em encrenca e no final, o coitado, nem tem culpa. Kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece um certo Roberto que conheci tempos atrás.... que também tem excelentes histórias!!

      Excluir
  6. Este texto bem estendido daria um bom livro, tem temperos que fariam sucesso nas livrarias. Acho que vc poderia publicar numa virtual em forma de pequenos contos, seria legal.Eu gosto de ler livro com assuntos diferentes em cada capítulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dr. Izamir...
      Tenho pensado muito em juntar todos os textos e fazer uma espécie de "novela de Marajó City"... A idéia é simplesmente encaixá-los em uma ordem cronológica e fazer as emendas em um no outro, sem que percam a essência de crônicas, sendo cada crônica um capítulo! E sem prejuízo das crônicas poderem ser lidas separadamente!
      ... por enquanto, só uma idéia...!!! Quem sabe nas minhas próximas férias eu consiga "formatar" essa idéia e começar a realizá-la!!!

      Excluir
    2. Ah, como eu gostaria de um exemplar desse!!!

      Excluir
    3. Estou pensando..... estou pensando...!!

      Excluir
  7. Kkkkkkkkk.....o Goela "merece" ganhar um telefone novo do Merece....kkkkkkk......maravilhosa crônica.....Parabéns poeta vc é genial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah, super obrigado.... mas não sou eu o genial... genial é a vida na ilha...!! O Marajó é realmente pródigo em maravilhosas histórias!!!

      Excluir
  8. Meritíssimo, este texto já assume certas características de novela. Mas vamos deixá-lo entre as crônicas mesmo. E como sempre, está uma crônica de excelência.

    Mais uma vez, escritor, meus parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escritora.... um elogio desses de quem conhece os segredos dos textos, de alguém que domina as palavras, deixa-me absurdamente envaidecido!!!!
      Acho que tu foste a primeira pessoa pra quem falei justamente que tinha alguma vontade de transformar em novela todas essas histórias... quem sabe... quem sabe...?'

      Excluir
    2. E a minha humilde oferta de ajuda continua, cronista.,
      Quando quiseres, estarei à disposição.

      Excluir
    3. Eu sei... mas cho que somente posso mexer nisso, ano que vem... a partir de janeiro haverá severas mudanças... acho que somente depois destas poderei encarar um projeto desse fôlego!

      Excluir
  9. Então, caro cronista, qual é mesmo seu apelido no Marajó? Deve ter algo mais "criativo" do que Lico!

    ResponderExcluir
  10. É o retrato da cultura do Marajó ! Povo de coração bom e diversividades de idéias. Salve o Menna que registra os fatos, lance a lance !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Dr. Jackson!!!!!
      Fico realmente lisonjeado!
      De fato, tento passar com bom humor, os percalços que todos nós enfrentamos e que tanto enriquecem nossas história!!!

      Excluir
  11. Nossa terrinha tem disso mesmo, apelidos são muito corriqueiros, precisas ver no interior de Breves, o povo costuma ser bem criativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!!!!
      Os interiores são ainda mais interessantes!!!

      Excluir
  12. Uffa!!!...Nossa...! Quantas encrencas rsrsrs. Mas o que me chama atenção cronista, é a capacidade do olhar! 👏👏👏👏👏👏. Isso é o que eu chamo de estranhamento. Muito legal!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, guria.... o Marajó é pródigo em coisas para o olhar... basta que tenhamos a delicadeza de parar um instante... observar a vida... deixar o tempo, preguiçoso, passar por nós... como o rio....!

      Excluir