quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

crônica - Eu, o Pilha e o Uálquin

Eu, o Pilha e o Uálquin*
(A terceira aventura do Pilha)

Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 15.04.2016.
Comentários na postagem original:   18.
Visualizações até ser retirado:   349.

Era um daqueles dias quentes. Não tem como ficar na sinaleira muito tempo nos dias muito quentes. O asfalto queima o pé da gente. 
Daí que eu e o Pilha combinamos de ir de novo no parquinho. Mas nem tinha dado tempo de ganhar o dinheiro do dia, ainda. A mãe sempre desconfiava se eu chegava sem os oito pilas. Dizia que em vez de trabalhar eu tinha ficado brincando e eu sempre apanhava. E eu tava com fome, também. Se fosse pegar pra comer, ia ter que ficar mais tempo ainda, e eu não tava aguentando mais tanto calor.
O Pilha, acho que já tinha ganhado mais de dez pilas. Ele sempre conseguia mais que eu. E eu ainda tinha que dar a moeda dele, porque aquela era a sinaleira dele e ele deixava eu ficar lá se eu desse uma moeda por dia.
Quando eu disse que ainda não tinha oito e que tava com fome, ele disse que dava um jeito. O Pilha sempre resolvia tudo! Ele disse pra eu dar a moeda da cota dele, eu dei e ele disse: “Já volto”. E saiu correndo dali.
Em seguida ele chegou com um pedaço de esponja meio escondido na mão. Rasgou no meio, ficou com a metade e me deu o outro. “Toma, vai passar tua fome”.
“E eu vou comer esponja, Pilha? Tá doido?”
“Não é pra comer, ‘inguinorante’. Fica cheirando que passa a fome! É melhor que comida.”
Fiquei meio desconfiado, mas como ele já tava cheirando, cheirei também. Tinha um cheiro parecido com tinta, mas achei bom. “Bora”, ele falou, e saiu correndo pro parquinho. Fui atrás, com a esponja na mão.
Chegamos e fomos direto pra nossa árvore e ficamos olhando, como sempre, as crianças nos brinquedos e na caixa de areia. O Ranho tava lá, com nariz escorrendo e toda hora lambendo, e a babá sentada, olhando o celular. E tinha outras crianças perto do Ranho. E várias babás junto com as do Ranho. As crianças estavam brincando, mas as babás nem se falavam. Cada uma tava com seu celular na mão. Não sei nem pra quê ainda chamam de telefone, porque nunca vejo nenhuma falando! Ficam só cutucando nele o tempo todo, sem tirar os olhos. Melhor, então, era comprar uma TV e deixar ali no parquinho. Será que elas cutucam a TV vendo a novela?
Junto com as crianças estava um garoto pouco maior do que eu e o Pilha. Ele andava quase arrastando uma perna, ia de um lado pra outro, sem nunca virar o pescoço. Era engraçado. Ele se virava inteiro. O Pilha chamou ele de Uálquin. Disse que era por causa de um filme de DVD. O Pilha já viu muito filme, porque domingo ele vai com o irmão mais velho vender DVD pirata no centro, e tem até uma TV que o irmão coloca na banca, passando filme. Lá que ele viu esse filme Uálquin Dédi e disse que o Uálquin anda como os do filme. As crianças todas ficavam atirando pedrinhas no Uálquim e daí ele se virava pra um lado e pra outro, sempre indo atrás de quem tinha atirado a pedrinha. Até o Ranho tava atirando as pedrinhas nesse dia.
E a babá do Uálquin? Tava lá, cutucando no celular!
Não sei o que deu no Pilha naquele dia. De repente ele desceu da árvore e foi pro lado das crianças, nos brinquedos. Eu fiquei na árvore, e até subi mais, pra olhar bem. A brincadeira parecia bem divertida, mas nunca deixavam a gente brincar. Sempre que nos viam com os garotos, alguma das cutucadoras de celular corria a gente de lá. Mas o Pilha é corajoso e foi lá brincar! 
Quando ele tava chegando, logo juntou uma pedrinha. Mas eu achei estranho, porque ele foi bem pertinho do Uálquin. ficou quase encostando nele. Daí, quando um garoto perto do Ranho atirou a pedrinha no Uálquin, o Pilha se meteu na frente e jogou a pedra de volta no garoto! Na mesma hora, esse garoto saiu correndo e chorando pro lado da babá! Claro que logo acabou a brincadeira, sem nem dar tempo do Pilha brincar direito. A babá levantou e correu o Pilha dali. E logo cada babá foi chamando a criança que cuidava e levando embora. O Pilha se mandou correndo pra nossa árvore!
“Ué, Pilha! 'Tu foi' lá acabar com a brincadeira? ‘Tu não sabe’ brincar mesmo! Entrou no time errado!” Eu disse quase rindo.
O Pilha não falou nada. Parece que nem tinha escutado eu falar. Ficou olhando o Uálquin ir embora quase arrastado pela mão da babá. 
Daí, aconteceu uma coisa que nunca acontecia: o Uálquin virou o pescoço pra trás e ficou olhando pra nossa árvore. E eu não sei direito, mas pareceu que ele sorriu.
… mas quando olhei pro Pilha tive certeza: no Pilha, era um sorriso.

Luís Augusto Menna Barreto

* Pilha é meu personagem mais caro… não falo de preço… falo de carinho… Já publiquei 5 aventuras do Pilha… mas alguns não o conhecem… por isso, decidi republicar. Perdoem-me os que já o conhecem… de qualquer forma, eu estou com saudade do Pilha…! Esta é a sua terceira aventura!



31 comentários:

  1. Essa tbm não conhecia,esse Pilha é legal mesmo, tenta ajudar até o garoto com problema, que mal conhecia, como se defender, ou melhor ele mesmo agiu, devolvendo a pedrada rsrsrs. Olha aí, eis que surge outra vez os benditos celulares tirando a atenção das babás da sua obrigação né? kkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As "cutucadoras" de celular... rsrsrsrs....
      O pior é que já vi praças assim...
      O Uálquim foi um personagem especial... há de voltar....

      Excluir
    2. Os "cutucadores" de celulares estão por toda parte poeta, praças, restaurantes, clínicas, até mesmo nos lares, tbm sou uma delas rsrsrs. Raro hoje quem não seja né? kkkkkkkkk

      Excluir
  2. Não, não há o que perdoar. Qual pai não gosta de rever e de recontar proezas de um filho?!

    Sim, que o meu amigo lindo e querido João não fique magoado (acho até que ele não precisa saber que eu disse isso), mas o PILHA e o "Eu" são uma espécie de filhos teus. Assim, filhos da tua cabeça. Assim, teus filhos da rua. (Pô... Tá ficando complicado!)

    Enfim... Tu sabes o que eu quero dizer. Tenho certeza de que sentes o que eu digo.

    Então, não te incomodes! Podes publicar a quarta e a quinta crônicas, pois temos a paciência do mundo inteiro para esperar a sexta.

    (Só Deus sabe!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sexta já está escrita.... E tá quase vindo a sétima... acumulei um pequeno material nos últimos dias...
      Tem mais duas crônicas também prontas...
      Mas o Pilha.... ah... o Pilha é sim, meu filho... teu filho... nossos filhos... esses que tantas vezes pedem nosso abraço e nunca entendemos, preferindo dar a moeda....!

      Excluir
    2. Prezada amiga Ana, querida enviei pra vc por e-mail uma mensagem sobre o seu excelente livro Malva. Adorei o livro, muito obrigado. Agora vou ler o outro. Um fraterno abraço.

      Excluir
    3. Sr Izamir, eu amei a leitura do Malva, livro maravilhoso e surpreendente, o li em dois dias, foi demais. A Ana é show
      Sr. Menna, o Pilha pode ser reprisado sempre, nós o amamos

      Excluir
    4. "Sr. Menna"?????? Mas bah! Agora tô me achando!!!!!!!
      Malva é maravilhoso... um dos únicos 3 livros que me fizeram chorar na minha vida!!!!

      Excluir
    5. Tb chorei...não tem como não chorar...acho que o Malva daria um lindo filme, eu imagino todas as cenas.

      Excluir
    6. Obrigada aos três! Muito obrigada mesmo a Izamir, a Tel e ao Sr. MENNA

      Recebi, sim, o seu e-mail e respondi, também por e-mail, Izamir. O seu comentário sobre o MALVA emocionou-me.

      Excluir
  3. "...cutucadoras de celular." Kkkk
    Muito boa!!! Os celulares estão em todos os lugares.
    E o Pilha com seu jeitinho, conquistando mais um amiguinho!! Muito legal!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que no fim, o Pilha gosta de ajudar... mas precisa manter-se "durão"... precisa defender-se da vida... precisa sobreviver...!

      Excluir
    2. Linda, estou precisando do teu endereço postal. Preciso lhe enviar uma encomenda. Eu não tenho mais Twitter, mas você pode mandar inbox para Norminha, que ela me passa. Por favor, peça a ela também meu WhstsApp, tá?
      Beijão

      Excluir
  4. Amigão Luís, sempre é bom rever os seus personagens que são seus filhos, fora o João claro e agora o Cusco. O Pilha é o Pilha é o nosso herói. Que ele esteja sempre presente pra trazer estas emoções do seu cotidiano. Valeu. É o herói do avesso, fazendo do torto uma reta. 👍✌

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais (tr)avesso do que herói... mas de qualquer forma, um garoto a seu modo brilhante...! Um "solucionador"....!!!!

      Excluir
  5. Que saudades estava do Pilha!
    Sejam velhas ou novas aventuras sempre é maravilhoso reencontrá-lo.
    Sabes o quanto me emociono e muitas vezes choro com ele e por ele.
    Que venham muito mais aventuras!
    Saudades tuas também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tenho outra pronta e uma no gatilho..! É bom escrever o Pilha... é um esforço carinhoso!!!

      Excluir
  6. O Pilha é , de fato, amigo!
    Este cuidado, com o amigo, mostra o quão humano é!
    O Pilha é um amigão!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como adoro essa expressão; "amigão"....!!! É isso: o Pilha é um amigão!!!

      Excluir
  7. Gostei dessa expressão: "herói do avesso." Muito boa Sr. Izamir!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dr. Izamir (um amigão!!!) é um cunhador de boas expressões!!!

      Excluir
  8. Muito obrigado prezada Armelinda, valeu. Gosto muito dos seus comentários. Este blog do amigão tem esta característica especial, cria laços entre nós, parceiros da relação construída pela identidade nos nossos envolvimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se há algo que me faz valer a pena o blog, é isso: criar laços, reduzir distâncias, propiciar conversas sobre literatura... mesmo que a fala literatura que eu possa oferecer...
      ... mas, por outro lado, daqui muitas puderam conhecer LITERATURA MAIÚSCULA, como Heloísa, Malva, as poesias de Luiz Alves (www.palavratura2.blogspot.com.br), ou o soturno Sedrick (www.noitenua.blogspot.com.br), e outros que indicamo-nos mutuamente......!!!!

      Excluir
  9. Obrigada pela gentileza, Sr. Izamir!
    Também gosto muito da forma inteligente com que o senhor se expressa.

    E, é verdade! Este blog do Poeta, é tudo de bom!!!

    ResponderExcluir
  10. Sempre emocionante suas histórias do PILHA. E concordo que ele é um Herói... Das ruas, um sobrevivente. Muito bom!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso isso, também...! Mas um sobrevivente acima de qualquer outra coisa!!!!!

      Excluir
  11. Turminha bacana, essa do pilha e "eu". Inocente e cheia de lições pra dar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que saudade de encontrar-te aqui!!!
      Pois é.... a preocupação é que crescerão...
      ... e como crescerão...??

      Excluir
  12. Sou fã velado do Pilha ! Poucos se preocupam com os fracos e oprimidos. Não tem vantagem material. O Pilha transcende o material. Valeu Pilha !

    ResponderExcluir