terça-feira, 3 de janeiro de 2017

poesia de ver - "... céu vazio!"

Poesia de Ver: “…céu vazio!”

Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 22.04.2016.
Comentários na postagem original:  18.
Visualizações até ser retirado:  379




Quando me jogaste nesta piscina, disseste-me que esse azul era o céu…

… não foram os azulejos nem a água que te desmentiram… só deixei de acreditar, quando não apareceste…

Imagem e texto por Luís Augusto Menna Barreto





28 comentários:

  1. Lindo. Mexe com o sentido da presença, pelo carinho da ausência, que faz a vida dela ficar sem nada, porque esperava por quem ficou no caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda que o céu seja impossível a nós saber ou compreender, e, antes, definir, eu não saberia entender céu sem a presença de quem amamos...!

      Excluir
    2. Foi por isso que nos cativou... pela sua sensibilidade, poeta!!!
      Ainda bem que conseguiu retornar...!!!

      Excluir
  2. Ah, como a poesia tem a capacidade de trazer leveza e suavidade ao nosso dia!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bora fazer poesia, dizendo "bom dia" com um sorriso a todos que vermos pela frente...!!!
      Obrigado, Armelinda, por não haveres desistido de visitar o blog..!!!!!

      Excluir
    2. Desistir, jamais...
      Gosto de vir à este cantinho,Poeta ...!!!
      Além da POESIA que amo, ainda aprendo "barbaridade"!!! Rsrsrs

      Excluir
  3. Suavidade essa, que nos deixa felizes, pelo simples fato de lê-lo.
    Pra sempre...obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dividir é o grande barato... nessa matemática atravessada que é a poesia, o resultado da divisão, é sempre um maior que o dividendo...!!!!!

      Excluir
  4. Quanto tempo, Sílvina!!!! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Simplicidade nas palavras, e amor no coração 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... como sempre deveria ser com todos nós!!
      Super obrigado, Shirley!!

      Excluir
  6. Lindo, simplesmente lindo!!!! Poesia de se ver! É mágica, nos leva longe, sem sair do lugar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas báh... e como eu posse responder a essa gentileza toda..?
      Super obrigado, guria!! Espero que venhas sempre e sinta-se à vontade!!!

      Excluir
  7. Obrigada!!! 🙌. Sem dúvida. Encontro nesse blog um espaço mágico. Ainda não sei definir. Amoooo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que possamos, então, fazer mágica! ... e cada vez que um sorriso abre, sinto magia...!

      Excluir
  8. O mergulho na confiança que temos em algo que nos é desconhecido. Mergulho em tudo que um dia acreditamos ser verdade, pois, não vimos com nossos olhos, não os sentimos com nossas mãos, mas os conhecemos com nossos sentimentos. Então sentimos dor, ficamos tristes porque pensamos que fomos enganados. "Quando me jogaste nesta piscina, disseste-me que esse azul era o céu…" E dói mais ainda saber que fomos nós mesmos que nos permitimos alegrar com o que nem sabíamos se era verdade, apenas...confiamos e imaginamos, sonhamos com o que não é real.
    Percebemos que só nós acreditávamos no desconhecido "só deixei de acreditar, quando não apareceste…" e descobrimos que não foi o sonho que nos fez mergulhar, mas a esperança de que estaria lá aquilo que almejamos e banhado em lágrimas de decepção acordamos sozinhos.

    ResponderExcluir
  9. Que comentário lindo, Instinto de Águia!!!

    ResponderExcluir
  10. Com ctz céu sem aqueles que amamos por perto, não é céu...

    ResponderExcluir