sábado, 28 de janeiro de 2017

poesia de ver: "... medidas!"

Poesia de ver:  "... medidas!"

Originalmente  publicado no antigo blog
"Menna Comentários", precursor deste.
Data da postagem original: 30.04.2016.
Comentários na postagem original:  13
Visualizações até ser retirado:  332




Fico tão triste de ver-te com poeira, plantinha…

Não é pela poeira que tens que ficar triste… ela é apenas a forma como meço tua ausência…



Imagem e texto por Luís Augusto Menna Barreto

45 comentários:

  1. Que bela reflexão!

    Medidas das ausências...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... quanta poeira temos...?
      E quanta deixamos de limpar...?

      Excluir
    2. Bah!!!! Temos muitas " poeiras"!!!!
      Bora lá limpá-las.....

      Excluir
  2. Quanta poeira aparece por simples descuido...Tenho medo de limpá-la e ainda assim ficar vestígios...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o segredo é não deixar acumular....!!!!!
      Saudades de ti por aqui, guria!!!!

      Excluir
  3. Lindas flores!!! Belíssimas!!! Não conhecia essa espécie. A natureza sempre nos surpreendendo!!!

    A reflexão... sem palavras! Tua veia poética é incrível, Poeta!!! É surpreendente!!! Esta leitura que nos leva a fazer das pequenas coisas, faz a vida parecer menos complicada!! Muito obrigada por isto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado eu!!!!!
      O barato da vida, são as pequenas coisas.... porque é de pequenas coisas que construímos nosso dia a dia!!!!!
      As grandes coisas são um evento para p qual normalmente planejamos e esperamos.... mas as pequenas... ah! essas constroem nossos dias, nossas relações próximas, constroem o que amamos!

      Excluir
    2. Como é bom te ouvir...ops...te ler!!! Rsrsrs

      Excluir
  4. Amigão, lindo dizer o que sentes por por alguém que está ausente, ao ver/sentir nas camadas de poeira que olhamos na vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boratos andar sempre com nosso "espanador" para os amigos!!!

      Excluir
  5. Pobre plantinha...

    Mas é lindo de ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sylvia... pobre plantinha... pobre de nós que deixamos acumular poeiras nas nossas plantas...!

      Excluir
  6. De imaginário esse meu amor não tem nada! Amor, amor, amor. Será que muda de nome com o tempo? Será que o tempo muda de nome com o amor? O amor e o tempo que se entendam, são eles que arrumam a casa todo dia achando que você vai chegar. Mas não chega. Quem chega sou eu, fazendo uma bagunça danada, porque a sua ausência é isso :é uma bagunça...
    Bruno Fontes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é bonito...!
      Lembra-me Capital Inicial:
      "Hoje é o dia
      Eu quase posso tocar o silêncio
      A casa vazia
      Só as coisas que você não quis
      Me fazem companhia
      Eu fico à vontade com a sua ausência
      Eu já me acostumei a esquecer..."
      (Tudo que vai)

      Excluir
  7. Certo amigo meu, das águas de certos rios, diz que sentir saudade é bom, pois só se tem saudade daquilo que nos fez bem.

    Não eu, eu assim não digo. Saudade morde, estraçalha a alma. Saudade é ruim. Saudade dói.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... se não sinto saudade, é porque nada fiz que tenha valido à pena!
      Se o tema é "medidas", a saudade é a medida do que é de quem me faz bem...!

      Excluir
    2. Prezada amiga Ana, tudo bem? Você recebeu o meu e-mail? Um fraterno abraço. Valeu.

      Excluir
    3. Sim, recebi, Izamir. Recebi o e-mail e respondi.

      Caso você não tenha recebido minha resposta, por gentileza, me avise, para que eu possa reenviá-la, OK?

      Abraço!

      Excluir
    4. Bom dia amiga Ana, aqui em Belém só chuva o dia todo, fica gostoso 24 pra quem tá acostumado com 40 graus. Amiga não recebi seu e-mail. Sem problemas. Pois guardo na memória o lindo livro seu Malva. Valeu. Um fraterno abraço.

      Excluir
  8. Tô com saudade do MAR DE BARRA GRANDE.
    Quero acabar com ela.
    Quero é voltar pra lá.


    Mas... CARMELA não deixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tu não tivesses essa saudade, nada te farias voltar à Barra Grande...!!

      Excluir
    2. Traga Carmela pra conversar com a gente....!!!!

      Excluir
    3. CARMELA é calada, Sr. Menna!
      Tem mistérios e segredos profundos... Alguns insondáveis!

      Deixa ela quieta, por enquanto.

      Excluir
    4. Penso que ela poderia, quem sabe, como uma "avant première", às vésperas de seu lançamento, dar uma pequena palhinha por aqui... quem sabe mostrando algumas linhas de quem seja.....!
      Pensas a respeito! A amiga é tua... quem sabe tu a convences...!?

      Excluir
    5. Sim. Vamos pensar em como fazer, tá?

      Excluir
  9. Boa tarde Menna, atrevo-me a imaginar o que a plantinha talvez responderia: _Muitas vezes a poeira é uma forma de esconder a beleza que trazemos em nós. A poeira nos protege dos ventos que marcariam ainda mais minhas pétalas já tão sensíveis e machucadas. A poeira tomou o lugar ainda guardado daquele(a) que me esqueceu!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, amiga, disso não tenho dúvida...: a poeira é a demostraçao de que o lugar daquele ausente ainda está guardado!!!

      Excluir
  10. Ana, saudade realmente dói, como já dizia Nando Reis:

    "Nem o céu resplandecente
    Nem o mar, profundo azul
    Que explodem comoventes
    Podem te trazer aqui.

    Nem a dor dessa saudade
    Futura flor que não abriu
    Nem a distância entre as cidades
    Podem ter afastar de mim.

    Não vou dizer que não dói
    Mas já senti tantas dores
    Seria muito pior
    Se você não quisesse vir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "(...) baldio é meu terreno e meu alarde.
      Eu vejo você se apaixonando outra vez
      eu fico com a SAUDADE, você com outro alguém.
      E você diz que tudo terminou mas qualquer um pode ver:
      só terminou pra você."
      (Os Barcos - Legião Urbana)

      Excluir
    2. Linda,
      quando eu sinto saudade, eu sinto TANTO, que morro um pouquinho cada vez.

      É que eu não sei sentir nada comedidamente. Quando eu sinto, EU SINTO.

      Excluir
    3. Na faculdade, nos idos de 1990, conheci um colega chamado Jairo Melo, apelidado "Casquinha", que havia escrito um poema que decorei:

      "Se mentes, somente, por fidelidade,
      Comigo, como amigo, por finalidade,
      Por ti, parti, por necessidade,
      Sem ti, senti, SAUDADE!"

      Excluir
  11. Saudadear é bom. Mas o melhor é realizar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Menina, como é...!!!!

      ... mas só medimos o quão bom foi realizar, quando, depois, bater a saudade!
      Bem vinda!!!!!

      Excluir

  12. Nossa alma e nosso corpo precisam ser limpo sempre.
    Pra que a sujeira não danifique o que há de mais belo em nós!

    💋❤⚘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Limpemos, pois...!!!!
      Ah, que saudade da Ilha da cidade de Bagre, Marajó!!!

      Excluir
  13. Estou me sentindo como a plantinha com poeira, em busca do espanador para limpar a poeira em mim e a que deixei no outro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pega, pois, teu pano! Teu espanador! Vence a distância! Limpa a poeira que deixaste... e espera para ver se ainda restará poeira em ti!!!!

      Obrigado, amiga Tel!!!!

      Excluir
  14. Saudade,palavra tão simples de dizer e tão complexa de sentir,melhor seria se todas que sentimos desse pra "matar",com a mesma facilidade de limpar as poeiras acumuladas com as ausências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah!! A minha poeira nem dá mais pra limpar, já empregnou!!!

      Excluir
  15. Amigo, "O amor é a semente, a seiva e o sabor do fruto. Ele é a beleza e a fragrância da flor. O início, o meio e o fim. Despertar o amor é o motivo de estarmos aqui". Propósito - A coragem de ser quem somos. Sri Prem Baba.

    ResponderExcluir