quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

diálogos - "... esquecer-se!"

Diálogos: "...esquecer-se!"

"Tu vais me devolver…?"
O quê eu teria pra devolver-te?
“O amor que levaste de mim”.
Não levei amor nenhum que não fosse meu”.
“Eu te amava tanto... Então por que fiquei vazio quando partiste?"
"Por isso: porque todo o amor que tu tinhas, era meu: acho que tu me amaste tanto, que esqueceste de amar a ti próprio!"

Por Luís Augusto Menna Barreto

34 comentários:

  1. Esse é o grande erro de muitos que amam demais... esquece de amar a si, antes de tudo.

    ResponderExcluir
  2. Para amarmos alguém temos que amar a nós mesmos primeiro,pois se porventura acabar,não deixemos de viver.

    ResponderExcluir
  3. O amor é o amar se confundem quando duas pessoas vivem um grande amor é, quanto ao tema, para quem parte, deixa parte de si para outro alguém, levando, talvez, na sua lembrança, uma grande história de amor. Amor e amar e doar-se mutuamente banhando seus sonhos e ilusões numa realidade maravilhosa. Assim e a vida de quem ama, assim e a vida do amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem parte leva uma parte... mas, de fato, também deixa uma parte...! Amor tem um tanto de troca!!!

      Excluir
  4. Não tem explicação que se justifique porque eu digo hj amor, amanhã acabou, se em mim ficou ausência, outras com certeza eu diria que tinha presença. E aí isto é amor? O que é amor? Não sei explicar. Talvez quando se diz que tem amor e acontece o fim. Sente-se ausência. Mas amor com amor se cura. Podia ser amizade, carinho de vida conjunta e relacionamento com paixão.

    ResponderExcluir
  5. Quando eu te deixar
    Vou levar papel em branco
    Espalhar por cada canto um barco de papel

    Sei
    Que o amor é fácil de afogar
    E se você tem um barco
    Maior chance de se salvar

    Mas ora
    Você partiu antes de mim
    Nem me deixou barco frágil
    P'reu me salvar do naufrágio
    Que foi te dar meu coração... 🎶
    Barquinho de papel (AnaVitoria)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo....! Lírico... meigo...
      ... gentil!
      Suave forma de reclamar o amor!!!

      Excluir
  6. 0lha, POETA, li estes teus versos, e eles me remeteram a este trecho do livro que estou lendo, "BARROCO TROPICAL":

    "Desde que partiste, ó minha bem amada, minha meretriz esplêndida, os meus dias uivam de tão ermos, de tão abandonados, tristes savanas mortas sob um céu órfão de pássaros."

    JOSÉ EDUARDO AGUALUSA

    ResponderExcluir
  7. E este texto teu?! É tão louco... Tão absurdamente LINDO... que faz doer minha alma.

    ResponderExcluir
  8. Excelente reflexão Poeta... Parabéns pela singular percepção e habilidade de levar o leitor a reflexões profundas.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia, amigos e amigas do BLOG DO MENNA que se tornaram queridos para mim!

    É CARNAVAL e eu estou nele, mas meu PORTO está SEGURO. Beijo para todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Liberdade, liberdade
      Abre as asas sobre nós
      E que a voz da igualdade
      Seja sempre a nossa voz..."

      Excluir
  10. Isso, POETA!!!
    Agora, samba no pé!!! Vamos! Sacode o corpo!!!
    Grande abraço pra ti, amigo!!!

    ResponderExcluir
  11. "Ah o Amor!!! Quando é demais, ao findar, leva a paz (...)"
    Marcos e Paulo Sérgio Valle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. .... quando é de menos leva também...!!

      Excluir
    2. Ah!!! Amor de menos?! Isso lá é AMOR, POETA????!!!

      Excluir
  12. "Eu te amava tanto... Então por que fiquei vazio quando partiste?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era amor de outro... não o próprio... ficamos vazios se esquecemos da amar a nós mesmos...!

      Excluir
  13. POEEEEETAAA!!!!
    Deixa eu escreveeeerr!!!

    ResponderExcluir
  14. Uéééé???!!!
    Cadê o dono daqui???!!!
    Sumiu???!!!

    ResponderExcluir
  15. Sofreguidão do amor, quem ainda não sentiu ?!

    ResponderExcluir