domingo, 14 de maio de 2017

Pensamentos Perdidos: O Circo - um conto de Ana Isabel Rocha Macedo

O CIRCO
(Parte 7 de 7)

ANA ISABEL ROCHA MACEDO

ÚLTIMA NOTA: O blog “menna em palavras” orgulhosamente apresentou o CIRCO de Ana Isabel Rocha Macedo, que brindou o blog e seus leitores com um conto inédito que foi publicado em sete partes!  Já estou com saudades da pipoca, maçã do amor, as raspadinhas, o suco… saudades de todos que encontro no CIRCO.
Tal qual como quando criança, eu adorava os dias do CIRCO… porque eram dias de dividir amizades… 
… mas esperem… vocês também ouviram falar…? Parece que tem um TEATRO na cidade… e está fazendo testes para atores… depois do CIRCO, vamos descobrir…??
(Nota do “editor” Luís Augusto Menna Barreto)

VII

Foi então, que em uma tarde, quando quase todos do circo dormiam o sono da sesta, o trapézio me tentou mais forte, e eu fui até ele. Olhei-o, olhei-o... Lembrei-me dos tempos em que eu o dominava... Lembrei-me do amor antigo... de mim quase menina... do meu primeiro adeus... E senti saudades. 
Subi passo a passo, tentando a leveza de outros tempos. Fiquei lá em cima! Olhei para baixo, e o que havia embaixo nada me atraiu. Só o espaço em minha frente me chamava. Passei as mãos pelo sustentador e... O espaço... Minhas mãos apertando o sustentador... O espaço me chamando... Meu corpo se soltando... O espaço... O espaço... O espaço... Eu no ar... Um balanço...Mais outro... Ainda outro... A cambalhota... Agora. Não, não deu. Agoooora!!!!
AAAAAAiiiiiiiiiii!!!!!!!!
E o grito continuou soando em meu ouvido, mesmo quando meu corpo já estava no chão.
E as pessoas, muitas pessoas, muitos gritos:
- Socoooorro!! Ela caiu!
- Que horror!! Sem proteção!
- Depressa! Chamem a ambulância! 
- Depressa! Depressa! Depressa! Depressa! Depressa!!!!!
No meio de tantos rostos, o rosto do palhaço mais novo. Vi quando ele arrancou o chapéu de três bicos. Aí eu vi. Tentei falar. Não pude. Eu vi os olhos. Reconheci os olhos. E eles foram inundados. Ele tirou o nariz de bola, pegou a camisa, que molhada com as próprias lágrimas, esfregava no rosto para tirar a tinta. Era ele! E foi ele que baixou a cabeça e me beijou. 
Depois disso, uma força que veio do mais profundo de mim fez-me dizer:
- Meu..  domador...
E aquilo me bastou. Fechei os olhos.
Morri.

                         Barra Grande – BA
                           Novembro - 2016








20 comentários:

  1. O que aqui se apresentou foi um brinde ao talento e a prova de que a amizade e o reconhecimento são um alento. Triste final pra menina do circo, mas todo fim é um recomeço. Feliz domingo de circo a todos!

    ResponderExcluir
  2. Cheguei cedo! Já esperava Dona Ana Isabel... E com pipoca mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, menina... tô aqui, já... eu tava atrás do CIRCO, porque tem um moleque dizendo que passa a gente por baixo da lona por 2 pilas... mas fiquei com medo! Vou comprar meu ingresso! Bora...!!

      Excluir
  3. Parabéns querida amiga Ana, foi muito legal, curtir o seu circo que agora é nosso tb. Adorei. Que conservemos sempre em nossa memória o amor pelo Circo. E hj em espetáculo, tem sim senhor, então arrocha negada. Viva o Circo e seus artistas, muitas vezes tristes no coração mas alegres em sua missão. Alegrar o picadeiro e os presentes no seu modo de ser. Viva o Circo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bora pegar um lugar no gargarejo, bem pertinho do picadeiro... quero ir no palco quando o palhaço chamar para brincadeiras!!

      Excluir
  4. Queridos cheguei em tempo, ufa, eu estava certa em achar que aquele homem disfarçado de palhaço o tempo todo, era o domador,que tão cheio de culpa, sempre estava por perto para ajudá -la nas suas necessidades. E foi essa a sua última visão,o rosto do seu amado. Lindo, porém triste o final.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brilhante o conto....
      Eu não esperava menos da escritora Ana Isabel...
      Sinto-me profundamente brindado com a generosidade da escritora em deixar publicar aqui seu conto...!!!!!!

      Excluir
  5. Maravilhoso conto, Ana!!!
    Parecia tão real, que as lágrimas brotaram, com esse final triste e emocionante ao mesmo tempo!
    Parabéns!!
    Hoje a emoção foi tanta que nem lembrei-me da pipoca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esquecemos, todos, das pipocas....
      ... de repente, eu vi toda a platéia silenciosa... vi a arquibancada inteira calada... como quem cala de respeito...

      ... e foi algo lindo... como um aplauso baixinho que vai ganhando corpo...
      E vi todos em pá, aplaudindo o CIRCO de Ana Isabel Rocha Macedo... obrigado, escritora...!

      Excluir
  6. Se alguém deve agradecer aqui, este alguém chama-se Ana Isabel Rocha Macedo.

    Sim, devo agradecer a disponibilidade e a gentileza do Menna em publicar este meu conto.

    Obrigada, amigo! Fico te devendo mais este favor. Só não sei se poderei te ressarcir.

    Um grande e afetuoso abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo o que já fizeste por mim, é muito maior do que eu possa retribuir um dia...!

      Excluir
  7. QUERIDOS AMIGOS E QUERIDAS AMIGAS DO BLOG DO MENNA:

    POSTO HOJE SOMENTE PARA DIZER-LHES QUE, NO DIA 20 DE MAIO, SÁBADO A NOITE, ESTAREI LANÇANDO O MEU MAIS RECENTE LIVRO, "CARMELA - UMA HISTÓRIA DE AMOR".

    HONRA-ME MUITO, AINDA, COMUNICAR-LHES QUE ESTE MEU ROMANCE TEM COMO PREFACIADOR O ESCRITOR LUÍS AUGUSTO MENNA BARRETO.

    GOSTARIA IMENSAMENTE DE VÊ-LOS E VÊ-LAS PRESENTES AO EVENTO. ENTRETANTO, COMO NEM TODO QUERER É REALIZÁVEL, EXPRESSO, ENTÃO, UM DESEJO MAIS POSSÍVEL: QUE VOCÊS SEJAM LEITORES DESSA MINHA NOVA OBRA, FATO QUE ME FARÁ IMENSAMENTE FELIZ.

    GRANDE ABRAÇO EM CADA UM DE VOCÊS, COM UM PEDIDO DE ARREMATE: POR FAVOR, TORÇAM PARA QUE TUDO DÊ CERTO!

    ResponderExcluir
  8. Ana querida, não tenho dúvida nenhuma que será um grande sucesso seu livro. Desde já a parabenizo. Deus te abençoe minha flor.

    ResponderExcluir
  9. Ufa... Cheguei a perde o fôlego, pois conseguir, na minha imaginação, ver a cena, não de forma estática, mas carregada de emoção. Parabéns a Autora, por nos oportunizar belíssimos momentos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Rob!!!!!!!
      Teus comentários são sempre acurados!!!!!

      Excluir
  10. Emocionante, porém triste o final da história de amor do domador e a trapezista... Agora vamos adquirir e se emocionar com mais uma história de amor escrita pela querida Ana Macedo, que venha "Carmela", vou garantir logo meu exemplar ...parabéns, Ana Macedo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh..... CARMELA já está disponível... é maravilhosa!

      Excluir
  11. MERITÍSSIMO, meu querido e predileto cronista,vamos parar de brigar??? Brigar é ruim... O "prazer" da briga acaba logo. Eu gosto é de PRAZEEEEERR.

    Bem... Continue com o blog, vá!!! Não demore tanto para postar uma crônica! Sim, porque eu gosto um TANTÃO MESMO é das crônicas. Gosto de tudo, mas das crônicas...

    Anda logo, doutor MENNA, senão acaba o nosso TESÃO de leitor!!!

    Um beijo de PAZ em teu coração!!!

    ResponderExcluir